“tia” Luzia, Amiga de mamãe

Loading

Olá pessoal!!! Eu tenho 30 anos (apesar de aparentar menos) moro em Itajaí/SC, sou loiro, tenho 1,72m, magro porém saudável sou casado,a minha preferência sempre foi as mulheres mais velhas, e apesar de eu já estar ficando coroa, nada melhor do que de vez em quando dar uma escapadinha com uma mulher mais velha.

Vou contar o porque da minha tara ou seria fissura, por coroas, vamos lá:

Quando eu tinha 14 anos eu morava em São Paulo e tinha uma vizinha um pouco mais nova que minha mãe, na época ela tinha 32 anos e já tinha uma filha com 15 anos que eu me dava muito bem, éramos amigos, sem sacanagem, até porque nessa idade eu era um menino sem maldade e de mente inocente.

Luzia, esse é o nome da amiga de minha mãe, é loira, tinha os seios fartos, sem barriga, coxas grossas e firmes e uma bunda que até hoje mexe com a minha cabeça, foi por causa dessa bunda que me tornei tarado por um bom rabo redondo e carnudo.

Bom como eu falei, eu era um menino sem maldades e via Luzia como se fosse a minha tia, até chamava ela de tal, só que um belo dia, ou melhor uma noite as coisas mudaram e pra melhor.

Eu estava na casa de Luzia e brincava com sua filha jogávamos banco imobiliário e pedi a tia Luzia que falasse com minha mãe para deixar eu dormir em sua casa, para que eu e sua filha aproveitássemos ao máximo o nosso jogo, tia Luzia concordou e foi até a minha casa conversar com minha mãe, fiquei sozinho com sua filha jogando(hoje faria coisa melhor) e tia Luzia voltou mais ou menos uma hora depois.

Só que ao invés de deixar-nos jogando ela falou que já estava na hora de dormir, começamos eu e sua filha a resmungar, já que o dia seguinte seria sábado e poderíamos ficar até mais tarde jogando. Mas tia Luzia foi categórica, ela foi levando sua filha para o quarto e rapidamente retornou a sala, com um olhar que só depois intenderia.

“Bem menino vejamos a onde vou colocar vc pra dormir???” falou tia Luzia com um sorriso sacana no rosto, e perguntou à mim: “ Vc tem medo de dormir aqui na sala?”

eu disse que não e poderia ficar no sofá sem problema, ela foi até o seu quarto, demorou uns 15 minutos e retornou vestindo uma camisola longa de cor preta toda de rendas e nos braços carregava lençol, travesseiro e cobertor, pois era inverno e fazia um frio danado, coloquei o meu pijaminha de flanela que tia Luzia trouxe da minha casa e fiquei sentado numa poltrona observando ela improvisar uma cama para mim no sofá, e notei que ela estava nua por debaixo da camisola, dava pra ver o rego de sua magnífica bunda branca e quando ela virava de frente pra mim dava pra perceber a xoxota tomada por pentelhos, chegava a estufar a camisola, fora os seios igualmente redondos e bicudos. “pronto” disse tia Luzia, e pegou-me pela mão e fez-me levantar, só que eu estava com uma baita ereção. Meu pau que na época era pequeno uns 14cm estava doendo de tão duro e sem jeito e envergonhado pela inédita situação olhei para tia Luzia que olhava fixamente para o volume formado pelo meu pau no pijaminha de flanela, ela me fez sentar no sofá e ficou de joelhos pra mim expondo aos meus olhos pelo decote safado da camisola o par de seios deliciosos e falou: “Querido, vc tem certeza que vai ficar bem aqui sozinho???” eu já não sabia o que pensar e demorei pra responder e ela falou de novo: “ Se tiver com medo,

bate na minha porta ” e se levantou ficando de frente pra mim, eu então pedi à ela: “Tia me dá um beijo de boa noite???” ela passou a mão pelos meus cabelos e se curvando me deu um beijinho rápido no lábios e saiu para o quarto.

Eu me deitei e fiquei ainda de pau duro por tudo o que tinha acontecido e por mais q eu quisesse, não conseguia pegar no sono, ficou na minha mente (até hoje) aquela bela e tesuda mulher na minha frente quase nua se não fosse a maldita camisola preta a lhe cobrir o corpo. Vagando por várias horas com esses pensamentos e sentindo o meu peruzinho duro e sem saber o que fazer (nunca tinha me masturbado) tentei dormir quando escuto uma porta abrindo e um vulto passeando pela sala em direção da cozinha, eu fechei os olhos e de repente senti uma respiração perto do meu rosto eu abro os olhos assustado – “Calma, querido, é a tia Luzia, vc estava dormindo?” sussurou ela e eu falei baixinho: “ Tia não consigo dormir” ela disse que também não conseguia e que estava passando frio, daí ela pensou em me levar pra cama e dormir junto com ela pra juntarmos os cobertores…

Eu levantei e fui de mãos dadas com tia Luzia para o seu quarto onde a luz do abajur iluminava de leve e na minha inocência eu perguntei pq ela dormia sozinha numa cama tão grande, ela então me disse que perdera o marido a 4 anos e desde então se sentia solitária demais e que estava pensando em ter uma cama menor e que não o fazia pela boas recordações que a cama lhe trazia. Depois dessa confissão nos deitamos e fique virado para o lada de dentro da cama, ela se virou e jogou a bunda de encontro ao meu pau que endureceu novamente, ela agora ia vagarosamente encostando o corpo ao meu e eu agora tinha os cabelos loiros e ondulados de tia Luzia quase me sufocando, ela devia estar muito tesuda com isso, estava quase me jogando pra fora da cama e então ela se virou e olhando nos meus olhos me deu um beijo de língua profundo, cheio de tesão eu já havia beijados a meninas (sem graça) da minha idade, mas o beijo da tia Luzia era totalmente diferente e enquanto nossas línguas duelavam eu sentia a mão dela por cima do pijama apertando e abrindo para pegar na minha rola, assim que consegui tirar pra fora ela parou com o beijo e me olhou séria dizendo: “Vc está curtindo” e eu respondi: “ É claro tia Luzia”.

“Vamos deixar esse papo de tia, apesar de me deixar excitada acho que vc já é um homem e eu quero ser a tua primeira mulher se é que vc já não teve uma” eu respondi:

“Ainda não Luzia, sou virgem e quero vc como minha primeira mulher!”

Ela sorriu pra mim, um sorriso que eu nunca tinha visto em seu rosto e então me propôs: “ Vou te ensinar a ser um amante de primeira, mas antes prometa que continuarei sendo tia fora da cama, vc me entende é claro” e eu prometi:

“Com certeza TIA LUZIA”

Ela me colocou no centro de sua cama e ficou em cima de mim, com as mãos ágeis ela foi desabotoando a blusa do pijama e deixou o meu peito liso todo arrepiado, mas o arrepio foi de tesão porque o frio desapareceu do ambiente e os nosso corpos estavam quentes do desejo e tesão que sentíamos um pelo outro. “Vou fazer com vc uma coisa que eu adoro e faz tempo que eu não faço” , assim que ela falou foi descendo ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]