A professora submissa - Capítulo 13

Loading

Este conto já foi publicado em outro site, não por mim, ela os deletou deixando o pessoal, sem o conto e sem o final. Bem, eu consegui recuperar o conto, outro site, fiz algumas correções e alterações leves. Como este conto não teve final, eu estou providenciando a continuação, tentando ser a mais fiel possível a historia, espero que gostem.


A professora submissa - Capítulo 13



Quando elas chegaram na casa da senhorita C, Lisa mandou a professora levar todos os pacotes de compras para o quarto. Eram vários pacotes, alguns estavam no porta-malas e outros no banco de trás do carro. Eram sapatos, roupas e “brinquedos” eróticos.

A professora demorou certo tempo para conseguir levar todos os pacotes para dentro da casa, principalmente por causa da grande dificuldade que ela tinha de andar usando aqueles novos sapatos de salto, os bicos dos seios com os prendedores, ainda doíam muito e o plugue anal enfiado em seu cuzinho, ainda provocava uma dor aguda e contínua, era o seu cuzinho sendo dilatado, se acostumando aos poucos com a largura do plugue.
Dentro da casa a professora encontrou muito mais dificuldade, porque era preciso subir as escadas, pois o quarto dela ficava no segundo andar, depois que tudo foi levado para cima, à professora se sentiu exausta, queria sentar na cama, descansar os seus pés doloridos, mas lembrou imediatamente da ultima vez que sentou, sem ter a devida autorização de sua dona, ela não queria ser castigada de novo, mesmo com os pés doendo, permaneceu de pé.
Depois que tudo estava em seu devido lugar à professora ouviu os passos de Lisa Simons subindo as escadas. Lisa entrou no quarto e já começava a dar ordens.
—Tire a saia e o top, senhora C, quero que você fique completamente nua, eu voltarei em um minuto.
Lisa saiu do quarto novamente, enquanto isso a professora deixava a sua minissaia cair no chão em seguida retirava o top.
Ela ficou chocada, ao ver o quanto os seus mamilos estavam inchados e vermelhos, os prendedores realmente “mordiam” com muita força os seus delicados mamilos.
A professora se inclinou para frente, para pegar a minissaia que estava caída no chão, se inclinava para frente no exato momento em que Lisa entrou novamente no quarto.
Lisa viu aquela cena.
—Você realmente tem um belo traseiro, senhora C, apesar de já ser quase uma quarentona. E o seu cuzinho com o plugue, como está indo?
A professora vermelha de vergonha endireitou o seu corpo, ficando novamente ereta e respondeu a pergunta de sua dona.
—Está um pouco desconfortável senhorita Simons.
Quando a professora nua ficou de frente com Lisa Simons.
—Ora, veja só que belo par de tetas nós temos aqui.
Falou Lisa enquanto segurava e torcia o prendedor que mordia o mamilo direito da professora a fazendo soltar um grito de dor.
—Aaaaaiiiiiii…
Lisa sorrindo, perguntou.
—Isso machuca muito senhora C?
Ela perguntou enquanto torcia o prendedor que mordia o mamilo esquerdo.
—Aaaaaaiiiiiii... Simmm, isso dói muito, por favor, lisa, pare, por favor, eu imploro.
Agora segurando nos dois mamilos e torcendo violentamente os dois, ao mesmo tempo, Lisa perguntou para a professora que estava em gritos de dor.
—Será que eu ouvi bem? Você me chamou de Lisa, sua vagabunda?
—Aaaauuuuu… eu sinto muito senhorita Simons, Aaaaiiiiiii... Por favor, eu sinto muito, me perdoe Aaaiiiiii…
A professora chorava desesperada de dor.
—Acho que agora está tudo bem, desculpas aceitas, senhora C.
Lisa finalmente soltou os mamilos da professora, mas deixou os prendedores mordendo os bicos dos seus seios, mas pelo menos agora eles não estavam sendo retorcidos de um lado para o outro.
—Muito bem, agora vamos continuar.
Lisa falava, ignorando completamente os choros e soluços da professora e sentando-se na cama, continuou.
—Primeiro senhora C, quero que você de meia volta e fique de costas para mim.
A professora obedeceu imediatamente, ficando de costas para sua dona.
Lisa continuou.
—Agora incline-se para frente e empine bem a sua bunda, quero examinar com calma esse seu belo traseiro.
A professora Mariane, relutantemente se inclinou para frente, empinando bem a sua bunda, mostrando para Lisa Simons o seu belo bumbum, com o plugue enfiado em seu cu.
Lisa olhando para o belo traseiro da professora.
—Agora senhora C, coloque as duas mãos na sua bunda e abra bem as suas nádegas para mim.
A professora colocou as duas mãos na sua bunda e lentamente começou a abrir as suas nádegas, expondo o seu belo rego com o plugue enfiado dentro do seu cu, para que Lisa o examinasse.
Lisa sorria ao ver que o plugue estava muito bem enfiado e preso no cuzinho da professora, dava alguns tapas na base do plugue que por consequência socava bem gostoso dentro do cuzinho da professora, fazendo soltar alguns gemidos de prazer ou de dor, logo abaixo da base do plugue estava a sua bela buceta, totalmente raspada e molhada.
Lisa sorria ao ver que a professora estava com a buceta encharcada, quase pingando de tão molhada, sim, a buceta da professora estava molhadíssima, tamanho era o tesão que ela sentia com aquela situação e mais o plugue enfiado em seu cuzinho.
Lisa deu mais alguns tapas na base do

plugue e depois disse.
—Ah, senhora C, mal posso esperar o momento de poder enfiar isso aqui em você.
Lisa mostrava para a professora o maior dos plugues, ele tinha 9 cm na parte mais fina, onde ficaria preso e 12 cm na parte mais grossa. Com toda certeza seria muito difícil coloca-lo, mesmo sendo de silicone e mais difícil tirar.
A professora arregalou os olhos, assustada.
—Agora fique de frente para mim, coloque suas mãos para trás e abra bem as pernas.
A professora fez exatamente o que Lisa mandado, agora a professora de frente para sua dona, pernas abertas e as duas mãos para trás.
Lisa estendia a mão e começava a esfregar o dedo na buceta raspada da professora.
—Ahhh, huummm…
A professora deixava escapar um ou dois gemidos de prazer.
Lisa sorria e enfiava logo, dois dedos, bem fundo na buceta da professora em seguida perguntou.
—Você gosta quando enfio os dedos em você assim, senhora C?
A professora vermelha de vergonha, não entendia como podia ficar tão excitada com tanta facilidade?
—"O que está acontecendo comigo? O que está acontecendo com o meu corpo?” Pensava a professora.
E respondeu para sua dona.
—Não, senhorita Simons, eu não gosto disso.
Lisa sorriu e disse.
—Ora, senhora C, se você não gosta disso, então porque sua buceta está tão molhada?
A professora morta de vergonha, sussurrou.
—Eu não sei como explicar isso, senhorita Simons.
Lisa tirava o dedo da buceta e levava até a boca da professora, a obrigando a chupar o seu dedo todo melado.
—Se você não consegue explicar, então eu explico pra você cadela, sua buceta esta molhada porque você é uma vagabunda, uma vagabunda que não vê a hora de poder trepar com alguém.
Lisa mandou a professora tirar os sapatos, o que foi um alívio para os pés da pobre professora.
—Obrigada senhorita Simons, eles estavam me matando.
—De nada senhora C, agora coloque esse outro par. Os mais apertados.
A professora fez a costumeira cara de choro, aqueles novos sapatos de salto, eram ainda mais apertados que o anterior, os pés da professora parecia que não iam entrar, mas ela forçou os calcanhares e dolorosamente entraram nos novos sapatos de salto, depois seguindo as ordens de sua dona, ela amarrou as tiras dos sapatos nos seus tornozelos, deixando-os bem presos a seus pés, a professora ficou de pé com dificuldade, as dores em seus pés, eram agora muito mais intensas do que antes.
Enquanto a professora tentava se equilibrar sobre os novos sapatos de salto, Lisa pegava dois pares de algemas, se aproximando da professora, algemou as mãos em suas costas e os tornozelos, deixando a professora Mariane com os movimentos bem limitados, em seguida, Lisa pegou o vibrador com ventosas que havia comprado e o colou no chão.
—Agora senhora C, quero que você se agache aqui, bem em cima dele e deixe a ponta do vibrador entrar em sua buceta.
A professora com as mãos e os tornozelos algemados, agachou com muita dificuldade, sobre o vibrador, ela teve que se ajoelhar e afastar os joelhos de uma forma bem humilhante, agachando o máximo que podia, até conseguir que pelo menos metade do vibrador, entrasse em sua buceta.
—Muito bem senhora C, agora vou ligar o vibrador.
A professora imediatamente começava a sentir o enorme prazer, que ele trazia para sua buceta, aquele cilindro de plástico, vibrando dentro da sua xoxóta, era puro tesão.
—Huuummm… Ahhhhhh…
A professora gemia de prazer, com aquele delicioso vibrador.
Lisa sorria ao ver a cena e já avisava a professora excitada.
—Se eu fosse você, não ficaria tão animada senhora C, lembre-se, você precisa da minha autorização para poder gozar.
E Lisa para dificultar mais as coisas para a professora, segurava um enorme e grosso , pênis de borracha preto e disse para ela.
—Chupe isso cadela!
A professora, agachada em cima do vibrador, imediatamente começava a chupar o pênis de borracha.
—Agora preste atenção, senhora C, vou dar-lhe uma tarefa para ser cumprida, se você falhar, será punida, entendeu?
—Sim senhorita Simons.
E Lisa prosseguia dizendo.
—Eu quero que você faça com esse pênis de borracha, o melhor boquete que você já fez em toda a sua vida, você precisa praticar, pois quando for fazer boquete de verdade, quero perfeição. Enquanto você chupa esse pênis de borracha , quero que você deslize para cima e para baixo, em cima do vibrador que está em sua buceta e como eu já disse antes, você não pode gozar sem a minha permissão. Você vai se arrepender profundamente se desobedecer esta minha ordem.
A professora com cara de choro e com o pênis de borracha na sua boca.
—Então vamos recapitular. Se eu achar que você não esta fodendo direito o vibrador com a sua buceta, você será punida, se eu achar que você não esta fazendo um boquete decente, neste pênis de borracha, também será punida, agora, se você gozar sem a minha permissão, aí sim cadela, você vai se arrepender profundamente, agora mexa-se, senhora C, quero ver um pouco de ação nisso, quero ver como será seu desempenho quando for real a sua trepada com alguém.
Assim que a professora começou a chupar o pênis negro de ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]