Anseios ardentes

Loading

Anseios ardentes

273
0 (0)
Chronos
Poesia

Ela:

Venha!
Entre, a porta está aberta.
Não precisa ter pressa
Os passos os faça como um gato :
Devagar e malicioso !
Venha , não te demores pois não é pouco
O gozo do corpo
O gosto que entorpece a boca que come e bebe.
O meu dia se modifica
Quando abro os olhos e ouço apenas uma palavra tua
Vou me deixando levar pela poesia
Que soa gostoso para a alma
Embalando meu corpo
Fazendo os desejos aflorarem fortemente
E fazem meu interior

esquentar
E a minha boca salivar
Fico mais molhadinha
Sinto-me mais viva
O meu dia se modifica
Um momento. Um desejo violento.

Ele:

Tu, desejada minha
És a conjugação perfeita
Da beleza, da poesia
Palavras perdem o valor
As flores perdem seu perfume
Quando sou capturado
Pela visão da formosura
Desenhada pelo Criador
Ao entrar em suas recâmaras
Sinto o gozo do corpo
Que entorpece meus sentidos
Enternecido e malicioso
Aproximo-me de ti
Meu corpo queima e não é pouco
Estou enfermo, como sou louco, desesperado , impulsionado!

Ela:

Meus sentidos se aguçam com
Teu ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]