Cunhado gozou na minha Bunda(Enquanto eu dormia)

Loading

Caros amigos, é a primeira vez que escrevo para um site de contos eróticos, portanto, perdoem eventuais erros ou frases mal compreendidas. Meu nome é Patrícia, tenho 31 anos, sou professora, casada, 1 filho, sou castanha clara e tenho o corpo bronzeado pelo sol. Acredito que sou bonita, pois quase sempre recebo elogios, principalmente do meu marido, é lógico. No inicio do ano passado, completei meu turno trabalhando na secretaria da escola e foi lá, que descobri este site. Algum funcionário o esqueceu aberto no computador. Eu resolvi dar uma olhadinha, li alguns contos e então resolvi me cadastrar para contar um episódio que aconteceu comigo. Adianto pra vocês que nunca traí meu marido e que nunca tive intenção. Fantasias me passam pela cabeça e quanto mais proibida for, mais me causa tesão. Gosto muito de me masturbar e a anos, a principal figura dessas masturbações tem sido meu cunhado. Nunca tive nada com ele. Ele tem atualmente 36 anos e sua esposa é a irmã com a qual tenho mais afinidades. Nós saímos juntos, viajamos juntos, ele é amicíssimo do meu marido, enfim, somos muito unidos. Sou madrinha de um de seus filhos e conversamos praticamente 7 dias por semana. Há uns 10 anos, houve a primeira troca de olhares, digamos diferente entre nós. Um flerte. Mas nunca mais passou disso, pelo menos até o inicio do ano passado. Meu cunhado é bonito e pratica exercícios e musculação em sua casa. Tenho certeza que ele me deseja tanto quanto o desejo e isso ficou evidenciado, no pequeno ocorrido que vou relatar a vocês. Recebi em maio de 2005 um convite para participar, de uma semana de cursos, no Rio Grande do Sul. No inicio recusei, pela distância e pela resistência do meu marido em permitir que eu viajasse, mas coincidentemente, meu cunhado também recebeu o convite, pois haveria cursos na área dele, que é de redes(negócios de computador) e a empresa dele, locou uma Van e havia um lugar sobrando. Depois de muito chorar para meu marido, ele permitiu. Ficamos todos hospedados no mesmo hotel. Meu quarto ficava ao lado do de meu cunhado. Meu curso acabou um dia antes e no ultimo dia, fiquei perambulando pelo hotel sem ter o que fazer. Na parte da tarde fomos fazer um lanche e meu cunhado disse que para o jantar iria pedir pizza. Iríamos sair de volta pra nosso Estado bem de madrugadinha. Meu cunhado chegou com as pizzas em meu quarto por volta das 8 horas e trouxe também algumas cervejas. Os outros membros da excursão estavam espalhados pelo hotel. Comemos e ficamos conversando e tomando cerveja. Lá pelas 10 já estávamos embalados, rindo muito. Meu cunhado sabia da

minha preferência por vinhos e perguntou se eu queria. Aceitei e falei que iria tomar um banho enquanto ele saía pra comprar. Ele saiu e eu fui tomar banho. No chuveiro, senti um tesão incrível e comecei a fantasiar um possível envolvimento nosso. Fiquei incendiada, mas me contive quando lembrei de minha irmã. Saí do banho e vesti uma calcinha branca de renda e um vestido até a altura dos joelhos. Uma roupa bem comportada. Meu cunhado já me esperava com o vinho e com seu laptop. Ficamos bebendo e vendo fotos a noite inteira. Ele sempre insistia que eu tomasse mais e mais vinho, mas passei a despistar. Falei que desmaiaria se continuasse a beber daquele jeito. Meu cunhado insistia também em ver fotos em que eu estava de biquíni na praia e não parava de me elogiar. Havia uma foto em que ele estava com uma sunga branca, que por sinal eu nunca tinha visto, que evidenciava bem o tamanho da ferramenta dele. Um lindo e belo volume. Retribuí elogiando aquela foto e ele ficou sem jeito. Ficou aquele clima de quero, mais não posso. Enfim o vinho acabou e ele se levantou para ir buscar mais, antes que eu dissesse que não queria. Ele saiu e eu resolvi me deitar na cama. Não queria beber mais. Resolvi que quando ele voltasse, fingiria que estava dormindo, desmaiada e assim ele iria pro seu quarto. Fiquei deitada de bruços, com a cara enfiada no travesseiro, fingindo dormir. Meu cunhado entrou e ouvi ele se lamentando. Chegou perto da minha cama, pos a mão nas minhas costas e me chacoalhou. Chacoalhava e chamava e eu passivamente, suspirava, fingindo um sono profundo. Morreu…dizia ele. E eu ali quietinha aguardava que ele saísse. Novamente ele tentou me acordar e então se sentou ao meu lado. Sua mão estava em minhas costas. Ele ficou em silêncio e então seu dedos passaram a trabalhar lentamente, puxando meu vestido para cima. Meu coração disparou e minha respiração ficou difícil, mas, permaneci imóvel. O desgraçado do meu cunhado estava se aproveitando de uma mulher supostamente bêbada e desacordada. Resolvi continuar fingindo para ver até onde ele iria e confesso estava naquele momento, excitadíssima. Ele tentou me acordar mais uma vez mas permaneci irredutível e então sua mão escorregou até minha bunda. Ficou me acariciando por um tempo e se levantou. Se ajoelhou ao meu lado e sem cerimônia levantou todo meu vestido até a altura de minha cintura. Mantive a concentração e continuei a fingir. Minha bunda ficou toda exposta, só protegida por minha calcinha. O fingimento começou a ficar difícil pois em determinado momento, ele afastou minha calcinha com uma das mão enquanto passava os dedos ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]