Desejo pela Cunhada – Tente não ficar de pau duro – Parte II

Loading

Olá pessoal, hoje eu vou contar a segunda parte da minha história!
Bom, uma semana depois do acontecido, marcamos um almoço em família na casa do Rafael e da Gabi, passamos um dia muito agradável e ao mesmo tempo um tanto triste para mim, pois eu estava na esperança de encontrar as calcinhas da Gabi novamente no banheiro, porém, para o meu azar, eles já haviam consertado o banheiro da suíte e eu não achei nada no banheiro social, mas em fim, o fato é que depois de tudo aquilo que aconteceu, eu não tirava mais a Gabi da minha cabeça, eu precisava vê-la nua, sentir o seu cheiro, tê-la em meus braços, ouvir ela gemendo, mas eu não sabia de que forma eu iria fazer isso! Então eu comecei a bolar vários planos, mas cada um mais arriscado do que outro, porém, eu precisava fazer isso! Perguntei para o Rafael como estava indo o serviço e ele me disse que na segunda feira bem cedo precisava ir em uma reunião em Belo Horizonte e que ficaria por lá pelo menos 3 dias. Pensei comigo “essa é uma ótima oportunidade para eu aparecer aqui amanhã bem cedo”, então perguntei para Gabi:
E você Gabi? Como vai no trabalho? Muito serviço? (Eu não disse na primeira parte do conto, mas a Gabi é formada em Arquitetura e tem um escritório no centro da cidade).
E ela me disse:
“Ah Marcelo, estou lotada de serviço no escritório, quase não estou dando conta, saio de casa todos os dias bem cedo e só volto às 18:00hs, as vezes não venho nem para o almoço, acabo comento algo por lá mesmo”. E lá se foi o meu plano inicial de vir para casa dela cedo.
Mais tarde naquele dia eu ainda pensava em como aproveitar a oportunidade da viagem do Rafael e acabei tendo uma ideia, um tanto arriscada, mas eu estava disposto!
No outro dia (segunda-feira) lá pelas 18:00hs, liguei para a minha esposa e disse que não precisaria me esperar para o jantar, pois eu ainda tinha muitos pacientes na clínica e por isso não sabia que horas eu iria chegar em casa. Peguei as chaves do meu carro e fui para a casa da Gabi, estacionei na rua de trás e fiquei de longe observando ela chegar.
Não demorou muito, ela chegou e entrou com o carro na garagem. Esperei por uns 15 minutos e fui até lá tocar a campainha, ela me atendeu no interfone, e eu disse:
“Gabi, é o Marcelo”, rapidamente ouvi o barulho da tranca do portão destravando, fui entrando e ela veio ao meu encontro dizendo:
“Oi Marcelo, tudo bem? Pode entrar! Só não repara a bagunça, mas é que eu acabei de chegar do escritório…”

e eu disse:
“Olá Gabi, tudo ótimo e você? Imagina, fique tranquila! Eu é que peço desculpas por vir essa hora e sem avisar, mas é que eu acho que ontem eu esqueci o meu óculo aqui na sua casa, pois eu não encontro em lugar nenhum e está me fazendo muita falta”.
E ela disse:
“Ah, fique a vontade para procurar, enquanto isso eu vou ali na cozinha fazer um suco, para tomarmos, estou morrendo de sede…”
Enquanto ela fazia o suco, eu fingia que procurava o óculos na sala, mas na verdade, eu só a observava, ela estava muito linda de social, ela vestia um longo vestido justo e sem mangas que ia até um pouco abaixo dos joelhos e calçava um sapato preto de salto alto, cabelo solto e um perfume delicioso. Então ela acabou de fazer o suco e veio para sala com dois copos de suco dizendo:
“E aí? Achou?”
e eu disse:
“Infelizmente não! Devo ter deixando em outro lugar”.
E ela disse:
“Ah que pena, mas pegue, tome um pouco de suco!”

e me entregou o copo.
Nessa hora eu já estava com o coração a mil, pois eu já não tinha mais desculpas para estar ali

e ainda não havia tido coragem para fazer algo, então, propositalmente, derramei suco na minha camisa e ela gritou dizendo:
“Aaaii Marcelo, você derramou suco na sua camisa! Espere aí que eu vou buscar uma toalha…”.
E foi para o quarto dela, porém, eu não fiquei esperando na sala e fui atrás dela. Cheguei no quarto, entrei e tranquei a porta, ela vendo aquilo disse:
“Marcelo, porque você não me esperou na sala e porque trancou a porta? O que está havendo?”
E eu disse:
“Gabi, a verdade é que eu não esqueci óculos nenhum na sua casa, eu só disse aquilo para ter uma desculpa para vê-la! Eu não consigo tirar você da minha cabeça…”
E fui caminhando para o seu lado, porém, como eu já esperava, ela disse:
“Você ficou maluco? Eu sou uma mulher casada e você também! E pior, você é casado com a minha irmã! Você realmente acha que eu seria capaz de fazer isso com o meu marido ou com a minha própria irmã? Vá embora da minha casa agora e talvez eu não conte isso para a Priscila, pois ela não merece isso!”
E foi me empurrando para a porta do quarto, então eu agarrei ela pelo braço e disse:
“Gabi, eu arrisquei tudo para vir aqui, então eu não vou sair daqui enquanto eu não conseguir o que eu quero! Eu não quero te machucar, mas eu vou fazer tudo isso valer a pena, isso você pode ter certeza!”
E a joguei na cama, e então, gritando, ela falou:
“E o que você quer?”
E eu disse:
“Quero apenas ver você sem roupa. Só isso!” .
Então ela disse:
“Você é louco, eu não vou fazer isso!”.
Então eu disse:
“Gabi, vamos fazer um trato… Tire a roupa! Eu já disse que não irei embora sem o que eu quero… Não quero te machucar! Se eu ir aí tirar, vai ser pior!” .
Nessa hora ela ficou muito assustada e concordou dizendo:

“Tudo bem, eu tiro o vestido, você me vê e vai embora”.
Então eu concordei! Sentei na cama com o coração a mil, quase não acreditava que eu estava vendo aquilo. A Gabi se levantou e, muito envergonhada foi tirando o seu vestido lentamente e eu fui vendo aquele lindo par de coxas branquinhas, e depois foi aparecendo a sua calcinha, e eu não aguentava de tanta dor no meu pau de tão duro, ahh que calcinha linda, era uma lingerie muito delicada e de cor roxa, e depois foi aparecendo sua barriguinha retinha e, por fim, seus lindos seios que estavam tampados por um lindo sutiã na cor roxa também, pois fazia par com a calcinha e então ela disse:
“Pronto, já fiz o que pediu. Agora vá embora!”
E eu disse:
“Calma! Vire-se, eu quero lhe ver de costas.”
Então, lentamente ela foi se virando e eu pude ver aquela bunda durinha, branquinha, no tamanho certo, mas não aguentei e rapidamente me levantei e lhe dei um abraço forte por trás para poder sentir sua bunda. Foi a melhor encoxada da minha vida. Então, muito assustada e tentando me empurrar, ela disse:
“O que é isso?! Você disse que se eu tirasse a roupa você iria embora…”.
E eu disse:
“Eu não aguentei. Você é muito gostosa. Agora eu quero lhe ver sem a lingerie e aí eu vou embora…”.
Então ela disse que não tiraria e começou a empurrar os meus braços, então eu a peguei pelos cabelos e disse:
“Se você não quer tirar, eu tiro!”.
Então ela ficou parada para que eu não puxasse mais o seu cabelo, e então eu disse:
“Isso, é assim que eu gosto, calminha…”
Joguei seus cabelos para frente e comecei a cheirar e a beijar o seu pescoço por trás (famoso cangote), depois fui descendo e abri o seu sutiã e lentamente fui tirando ele, virei ela de frente para mim e vi aquele seus lindos seios de auréolas rosinhas, ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]