FODA DE FINAL DE ANO –

Loading

Antevéspera do ano, a noite na praia do PARANÁ, entro no Batepapo e encontro um nick chamativo . Contato e começamos a conversar. Ele, Ativo, falou que estava na praia de férias, família chegaria na tarde do outro dia. Também casado e já com família, disse que não poderia sair naquele horário. Mas meu hábito de caminha pela manha, poderia me liberar e perguntei se poderíamos nos ver no outro dia. Combinado como seria meu traje, marquei o posto de salva vida como referencia. As seis horas do outro dia, já estava de pé e sai pra caminhar . Cheguei no posto meia hora mais tarde, já transpirando pelo exercício, tesão e medo . Ali fiquei pouco tempo e logo ele chegou.

-Bom dia. Estaava no bate papo ontem?

– SIM – essa palavra é a mais difícil de ser respondida. Afinal, é a chave pra prosseguir ou não.

mas minha analise superficial, me fez dizer sim.

Um Jovem senhor de 50 anos, estilo normal de homem, poucos pelos e bem apresentado.

-PRAZER, disse, QUER CAMINHAR UM POUCO?

– Sim, pelo menos nos conhecemos.

Caminhamos por uns 30 minutos na areia. Vimos várias pessoas na praia, mas o foco da conversa foi exatamente o sexo. Algumas regras, historias, desejos, digamos assim. O que me

chamou a atenção foi ele falar que a esposa chupava pouco e ele tinha o maior tesão e tara para terminar numa boca, o que nunca havia feito com ninguém. Ao chegarmos perto de um condomínio, notei que ele já estava animado.

-Bom, meu sobrado é aqui. Vai entrar ou vai embora?

-PRECISO ENTRAR. ESTOU PRECISANDO SATISFAZER MEU TESÃO E REALIZAR SEU DESEJO.

Ele sorriu e quase expos sob o calção, a dureza do cacete.

Dito isso, entramos e logo ao fechar a porta, notei um ambiente limpo, arrumado e agradável.

– Fique a vontade.

-UM BANHO PRA TIRAR O SUOR.- Me dirigi ao banheiro e uma ducha rápida. Molhado mesmo, voltei a sala e ele falou: – Minha vez. Foi e voltou rápido do banho, nú. Olhei aquele corpo bem conservado, um cacete bonito entre as pernas se apontava para cima. –Todo seu…disse.

Sem pudor, ajoelhei no chão e comecei a chupar o pau duro que estava cheirando a sabonete.

A limpeza me deixa ainda mais exitado. Chupava cada centímetro e cada gota dágua daquele cacete. Ele segurava minha cabeça, as vezes , insistindo para eu engolir todo o mastro. “ Nem precisava” eu fazia isso com gosto e gostava cada vez que ele entrada com aquele cogumelo na boca.

-Putinha gostosa você ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]