Hétero comendo pela 1° vez um garoto

Loading

Este relato é real.

Quando eu era moleque, por volta dos 13 anos, me lembro de, quando o tesão que florescia apertava, eu botava um vizinho mais novo meu para sentar no meu colo, esfregar a bunda em mim e pegar no meu pau e, não me lembro bem, até me chupar. Isso durou muito pouco tempo, alguns meses, e nunca mais se repetiu, porque eu comecei a ficar as meninas e por aí fui.

Cresci, passei a gostar cada vez mais de mulher, sempre estando ou namorando ou com algum rolo por aí.

Até que anos atrás eu arrumei uma namorada, linda, ninfetinha, mas que era muito safadinha. Além de me dar e de me chupar de tudo quanto era jeito, ela dava umas lambidas no meu cu, passava o dedo, pressionava… No começo estranhei, mas logo me entreguei ao prazer, sentindo-a até a meter um dedo no meu cu e estocar até eu gozar na sua boca.

O namoro acabou, mas a partir daí eu me senti meio diferente. Nos filmes de sacanagem que via, eu passei a reparar na bunda e no pau dos caras. Quando a mulher ficava por cima, de costas para ele, eu ficava vendo o saco do ator e seu pau indo e vindo, e seu cu logo em baixo… Comecei a fantasiar estando ali, chupando ela e passando a mão nele, no saco, no cu, no pau… Imaginava-me tirando seu pau de dentro dela, metendo na boca e enfiando novamente… Daí pra frente, passei a fantasiar mil coisas, inclusive a me imaginar comendo um homem. Depois que vi um filme de uma mulher lambendo o cu de um cara deitado de barriga pra cima numa mesa, com as pernas abertas e puxadas para trás, passei a me imaginar fazendo isso. Imaginava-me lambendo seu saco, seu cu, chupando seu pau enquanto metia um ou dois dedos nele, para depois meter meu pau todo, e ficar fudendo e masturbando-o até ele gozar. A cada filme que via, minha fantasia só aumentava… Quando lia os contos de garotos novos dando pela primeira vez, eu morria de tesão e bati várias punhetas, sempre me imaginando sendo eu a come-los.

Até que um dia veio passar férias no apartamento do vizinho um garoto de 17 anos, bonito, de corpo normal, branco de cabelos pretos. Depois de cruzar com ele pelo condomínio algumas vezes, nos cumprimentando, acabe puxando conversa e logo viramos amigos.

Acabou que ele passou a freqüentar minha casa (moro sozinho). Um dia, ele pediu pra usar meu computador para ver seus e-mails e acabou vendo que havia uma pasta de vídeos pornôs aberta. Pediu pra ver, eu deixei, claro… Então André começou a ver um, dos, três filmes… e entre a gente comentando sobre as gatas e etc, apareceu

uma cena da mulher lambendo o cu de um cara e depois metendo um dedo no rabo dele. Nessa hora André pôs a mão no seu pau (que eu já reparava duro dentro da bermuda) e o apertou. Eu também me excitei com as duas cenas (do filme e de vê-lo de pau duro), e comentei meio sem pensar: “gosta disso?”. Gosto, respondeu. “Sua namorada faz isso contigo?”, perguntei. “Não… mas já fizeram”, respondeu novamente André. Supus na hora que poderia ter sido um garoto, algum amigo, primo… Decidi investir, quem sabe realizar minha fantasia. Eu também gosto que façam em mim, mas tenho vontade de fazer também. André na mesma hora, meio surpreso, perguntou “como assim?”. “André, eu sou homem, gosto de mulher, tenho namorada… mas tenho outras fantasias. Tenho vontade de fazer isso em um homem. Fazer isso e comer ele depois, batendo uma pra ele, chupar seu pau…” lhe dizia quando ele me interrompeu perguntando “e isso, você faria?”, se referindo a cena da mulher fazendo o cara gozar na boca dela. “Talvez, não sei…”. “Po cara, nenhuma menina chupou meu pau. Eu só comi uma, mas foi muito rápido”, ele me disse. “Mas quem foi que te lambeu então?”, perguntei. “…olha, não conta pra ninguém não, mas foi meu tio. Ele me lambeu o cu e me comeu algumas vezes. Eu era pequeno, tinha uns 12 anos”. “Gostou?”, lhe perguntei. Então André se levantou e mostrou seu pau duro sob a bermuda… “olha só como estou só de lembrar disso”. Sem pensar, eu levei minha mão até seu pau e acariciei… e fiquei assim, apertando… “Parece bem grande”, comentei. “Tira ele pra fora e olha”. Meti a mão entre o elástico e logo saltou aquele pau duro na minha frente, perfeito, com a cabeça bem inchada. Eu, sentado, tinha aquela cacete bem na altura do meu rosto, da minha boca. Então dei uma alisada, empunhei e apertei, sentindo sua grossura, seu calor… Com a outra mão toquei seu saco, de poucos pelos e levei minha boca à cabeça, engolindo-a, sentindo pela primeira vez o gosto de um pau. Nesse momento André gemeu e com suas mãos puxou minha cabeça para si, me fazendo engolir até a metade aquele pau, que devia ter uns 18 ou 19cm. Escorreguei uma de minhas mãos até sua bunda e comecei a mamar devagar, indo e vindo, lambendo… Muito, muito bom. Nunca imaginava que seria tão bom. Em sua bunda, eu já tentava escorregar meus dedos pelo seu rego, procurando seu cu, arrancando ainda mais gemidos dele. “Cara… está muito bom… estou quase gozando…”, ele disse. Então eu o levei até o quarto e, na cama, lhe fiz deitar-se de barriga para cima com as pernas fora da ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]