Lembrando Roma (parte 2)

Loading

(escrito por kaplan)
Em dezembro de 2010 eu publiquei um conto com este título: Lembrando Roma. E, em dezembro de 2015, o meu amigo convidou mais 20 pessoas para relembrarem aquele evento. Muitos que foram na primeira vez apareceram, outros recusaram, então havia gente nova no pedaço.

E, tal como na primeira vez, assim que chegamos ao sítio recebemos a ordem para nos despir. Ali ninguém poderia ficar vestido. E foi assim que nos deparamos com quatro louras, três morenas, duas mulatas e uma negra. Do lado masculino, havia 4 mulatos, 5 “brancos” e dois negros. Desnecessário dizer que assim que tiramos as roupas os olhares delas se dirigiram para as picas dos dois negros, realmente descomunais.

Como sempre, camisinhas espalhadas por todo canto.

E a primeira atividade foi bacana, mas eu só posso descrever uma delas, a que participei, porque a outra foi em outro ambiente e não vi nada.

Foi o seguinte. Cada um de nós tinha um número. Eu era o numero 6 dos homens.

Ele sorteou um homem e uma mulher. O homem 3 e a mulher 7.

O homem 3 foi levado a uma sala e nós não tínhamos condições de vê-lo. A mulher 7 ficou na sala em que estávamos. Os homens de números 1,2,4,5 e 6 ficariam na sala com a mulher 7. Os demais iriam apenas assistir e poderiam escolher em qual sala ficariam assistindo.

E o homem 3 foi premiado com 5 gatas, de números 1 a 5. As demais também ficariam só assistindo.

A mulher 7 não sabia o que fazer… cinco picas à sua disposição. Mas logo resolveu, pegou nas picas de dois (eu, inclusive), falou com um para colocar a pica em sua boca, outro foi chamado a comer sua xotinha. Fez sinal para o quinto esperar e, assim que ela ficou no ponto, mandou que ele comesse seu cuzinho.

Putz… aquilo era muito tesão…a gente escutava até os gemidos das garotas que ficaram assistindo, eu via que algumas já estavam se masturbando, o mesmo acontecendo com os dois caras que ficaram para assistir.

Fiquei imaginando o que o nosso colega estaria “sofrendo” na sala ao lado…

Sei que o dia começara muito bem. A garota que estava com a gente, além de perceber que os dois que a comiam gozaram, ainda recebeu uma chuva de esperma dos três que ela masturbava ou chupava.

Dali tivemos um tempo livre, fomos para a piscina nadar. Logo a turma da outra sala também chegou e tivemos cerca de uma hora para

nos conhecer.

Aí veio o almoço e depois do almoço uma sessão de filme pornô. Como se alguém ali precisasse de um filme para se entusiasmar…

Atividade seguinte: Livre, já que nos conhecíamos, podíamos transar com quem quiséssemos, individualmente, fazendo ménages, o que pintasse. Teríamos até as 16 horas para isso. A maioria saiu para o quintal, no gramado perto da piscina, estenderam toalhas e começamos a trepação. Eu tive a sorte de ter uma das mulatas e uma das louras me procurando e fui “atacado” com todas as armas que elas tinham…deliciosas, todas duas. Comi os dois cuzinhos e depois elas foram procurar mais alguém.

E agora era possível ver todo mundo trepando. Tinha uma loura entusiasmada com um dos negros pauzudos, chupava o bicho com emoção, mas não conseguia colocar tudo na boca. Deu pra ver que ele gozou e muita porra saiu da boca da loura.

Dentro da piscina havia dois casais trepando. Lá dentro, e não se via o que eles estavam comendo, se a xotinha ou o cuzinho delas.

Bateu o sinal do fim da atividade.

– Vamos assistir o por do sol!

Só entendemos o objetivo quando caminhamos até uma área de bosque que havia no sítio.Toalhas já estavam estendidas lá e, de novo, cada um(a) podia escolher o parceiro e ficar só com ele até o sol se por totalmente.

Mais dez trepadas tiveram lugar ali. Cachorrinho, papai e mamãe, cavalgadas… teve de tudo!

Fomos lanchar e depois, noite livre. Podíamos transar com quem quiséssemos, trocar de quarto, tudo era possível e permitido.

Consegui convencer uma das morenas que foi para o quarto comigo que o melhor era dar uma boa trepada e depois dormir.

– Imagina que amanhã teremos mais umas quatro atividades… vale a pena dormir…

Ela concordou comigo, me cavalgou até gozar e dormimos. Bem que apareceram algumas pessoas na porta do quarto querendo participar, mas não demos bola.

Fomos acordados por uma sineta escandalosa. Dei um beijo na morena e saímos do quarto. Todo mundo nu. Fomos para o salão das refeições, onde esperávamos tomar o café da manhã. Mas antes de o café ser servido, recebemos uma ordem. Deviamos escolher um de nós e as mulheres deveriam escolher uma delas. Sem saber a razão, acabamos por escolher.

O dono da festa chamou os dois escolhidos. Colocou uma coroa na cabeça deles e falou que eles seriam o rei e a rainha do dia. E mandou que ele comesse o cuzinho ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]