madrasta dominando a amiguinha

Loading

Conto 2

Meu nome é Lara (fictício) e sou uma mulher de 35 anos malhada, pernas grossas, cabelo no ombro, morena, 1,68cm, 56kg, bumbum espetacular. Sou casada e embora moremos no rio, meu marido trabalha em Brasília auxiliando partidos políticos. A filha dele Luana conforme contei no conto anterior,”madrasta dominando a enteada rebelde ” era rebelde e eu a seduzi…Continuação…


Ao acordar Luana estava petrificada e expliquei a ela que dali para frente sempre que o pai dela não estivesse ela ia dormir comigo. E não havia mais conversa o eu contava ao pai sua bebedeira. Ela quis se rebelar e eu mostrei a fita da noite anterior (Dalva havia gravado tudo e eu concordei). Ela ficou sem palavras enquanto eu e Dalva ríamos dela. Dalva pegou um prestobarba e resolvemos depilar a bundinha de Luana e sua xana também. Depois de alguns meses ela se acostumou (até porque o pai estava elogiando nosso entendimento) e virou meu objeto sexual, quando o pai viajava, nós transávamos toda noite e nos fins de semana Dalva vinha completar a festa. Numa festa aqui em casa ela trouxe uma amiguinha da escola secundarista (Valéria seu nome), e eu fiquei com água na boca quando vi a Menina. Ela tinha uma bunda fan-tás-ti-ca! Era branca, cabelos castanhos, 171cm, 64kg, 17 aninhos, queimadaça de praia, seios eram médios. A bunda grudada numa bermuda jeans e um top.

-Que colega é essa?

– Do colégio.

– Faça ela dormir aqui em casa, eu quero ela!

– Não! Ela não vai

aceitar!

– Se vire! A festa rolou normalmente (sem baixarias) e depois eu e Luana convencemos a menina a ficar, sem que ela percebesse minha real intenção. Ficamos papeando (Dalva também dormia lá em casa) até de madrugada e eu tentava servir bebida a ela que não aceitava muito. No dia seguinte fomos até a piscina na cobertura e comecei a forçar a barra. Combinei com Dalva e obrigamos Luana a fazer top-less conosco. A menina estranhou e procurei tranqüilizá-la

– Não fique assim Valeria, aqui em casa somos todos liberais, por que não faz também?

– Não dona Lara eu tenho vergonha….

– Sem essa de dona…Luana ajude sua amiga a tirar o a parte de cima do biquíni…. – ela tirou o bustiê e eu vidrei nos peitinhos dela, que eram deliciosos. Dalva fez Luana passar o bronzeador nela enquanto eu ficava me roçando na menina dentro d’água, que disfarçava e me evitava. A garota começava a desconfiar que fossemos lésbicas e eu provocava chegando a dar um estalinho em Dalva e Dalva alisava descaradamente os peitos de Luana enquanto passava o bronzeador. Eu parei ao lado dela e perguntei se ela não queria brincar de luta na piscina, ela ficou encabulada e enquanto brincávamos eu roçava ela, passava a mão etc…depois fomos almoçar e convencemos ela a dormir mais uma noite (até liguei para a mãe da menina para convencê-la…). De noite servi vinho no jantar afim de fazer a menina relaxar. Então inventamos uma brincadeira na ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]