Mas, e se eu gostar? Você quer ser corno mesmo???

Loading
Mas, e se eu gostar? Você quer ser corno mesmo???

Mas, e se eu gostar? Você quer ser corno mesmo???

Minha esposa Melissa “Mel” tem 38 anos e eu 42 , não é aquele espetáculo de mulher mas ainda faz muitos homes ficarem de pau duro, tem cabelos castanhos até um pouco abaixo dos ombros e seios médios e deliciosos, gosta da sua buceta raspadinha bem lisinha. Somos casados há 18 anos e eu sempre tive o desejo de vê-la trepar com outro homem, mas ela nunca concordou, sempre que eu tocava no assunto ela tentava fugir, dizendo que me ama, e que não precisava de outro, que eu já era suficiente. Mas eu não desisti da ideia e comecei a ser mais enfático em nossas transas, quando estávamos no auge da transa, perto de gozar eu dizia pra ela imaginar naquela hora que era a pica de outro homem que estava fodendo a buceta dela, eu ate dizia o nome de alguém e pedia pra ela imaginar que era a pica dele que estava arrombando a buceta dela e ia enche-la de porra, pedia pra ela falar o nome dele e pedir pra ele arrombar a buceta dela, até que me surpreendi quando ela disse o um nome, alguém que eu nem conhecia e ela começou a gritar !!! Vem fulano me fode gostoso, regaça minha buceta, ele é toda sua , fode ,fode, goza comigo gozaaaa, trançou suas pernas em mim e se contorceu toda num gozo maravilhoso, e eu fui no mesmo embalo enchendo ela de porra, terminamos os dois cansados e bastante suados. Beijei ela, chupei seus peitos e ficamos abraçadinhos sem dizer uma só palavra. Claro que eu não ousei perguntar quem era o outro, que deu tanto prazer a ela, e a fez gozar daquele jeito. A partir desse dia ela começou a se soltar e perguntou porque eu queria tanto que ela desse pra outro homem!!! Não foi gostoso gozar imaginando outro homem te fodendo? Foi, foi muito gostoso e eu vou querer de novo, eu ja gozei pensando em outro homem, mas calada sem você saber, mas agora podendo falar o nome dele na sua frente, pra você ouvir, deu mais tesão ainda e me fez gozar com mais intensidade. Então!!!, Eu só quero que você sinta prazer, se imaginando e falando o nome dele já te fez gozar assim imagina então ele te fodendo na minha frente. Quero ver você trepar com outro, experimentar uma pica maior que a minha, ou mais grossa, quero ver você gemer e me chamar de corninho enquanto ele mete a vara na sua buceta .
E ela dizia: Huummmm! Que delícia!!!!!
- Mas, e se eu gostar? E se eu quiser continuar dando minha buceta pra outros? Você vai aceitar mesmo? Claro que vou!!! Então você quer ser corno mesmo??? Vou adorar ser seu corninho manso, quero ver você gozando gostoso e depois ainda prometo, vou limpar você todinha com minha língua, vou chupar sua buceta até sair a ultima gotinha de porra la de dentro!!!. Me dê mais um tempinho pra eu acostumar com a ideia, e prometo vou te fazer o corno mais feliz do mundo.
Isso começou a esquentar nossa relação e ficamos alguns meses assim nessa brincadeira excitante de imaginar outro fodendo ela enquanto agente trepava, e ela gritava o nome dele, isso nos fazia gozar ate ficarmos exaustos. Próximo de um feriado prolongado Mel me propôs passar

o feriado na praia, estranhei pois apesar de termos uma casa no litoral ela detestava, reclamava que tinha muita gente , da falta de agua pro banho, dos preços dos alimentos e bebidas na praia, por isso preferia ficar em casa, mas já que ela propôs e estava disposta a ir adorei a ideia. Saímos ao anoitecer e no outro dia logo cedo ela estava pronta pra caminhar na areia, vesti uma sunga e me arrepiei ao vê-la dentro de num minúsculo bikini, justo ela que sempre usou uns bikinis muito bem comportados, e criticava as meninas que usavam bikinis pequenos que mal dava pra tapar a buceta. Mas vê-la assim me deu muito tesão. Durante a caminhada quando cruzávamos com alguém não tinha quem não olhasse com desejo de possuir aquela bucetinha suculenta e bem depilada. Senti que naquele final de semana realizaria minha fantasia de ser corno e com certeza eu seria. Depois de caminharmos por um bom tempo resolvemos entrar na agua, dar uns mergulhos, depois saímos e sentamos na areia, como era gostoso ver aquele bikini enfiado na buceta da Mel, e seus lábios saindo pra fora, e ver a reação dos homens que passavam olhando, alguns iam ate a frente dava meia volta e passava cada vez mais perto pra dar uma conferida, ate que um rapaz se aproximou e começou a puxar conversa conosco, mas não tirava os olhos da bucetinha da Mel, dei uma desculpa pra sair e deixar os dois se entenderem, fiquei na agua só observando, depois o rapaz se levantou e foi embora. Minha esposa veio pra agua, deu um mergulho e me abraçou, dizendo que havia convidado o rapaz pra ir a noite em nossa casa.
Ele deveria ter a mesma idade dela e bem sarado, minha esposa disse que era casada, ele disse que também era, mas como havia discutido com ela estava sozinho, e perguntou se poderia ficar conversando com ela, e se eu não me importaria, ela disse que poderia e que eu não me importaria. Ficaram conversando e depois à elogiou dizendo que ela era uma bela mulher, e que depois dos elogios ela o teria convidado pra tomar uma cervejinha conosco a noite em nossa casa. A noite bebemos muito e conversamos sobre diversas coisas até o clima esquentar e o assunto acabou em sexo, e quem não gosta desse assunto. Como estávamos sob efeito da bebida que havíamos ingerido, minha esposa foi ao banheiro e na volta sentou em meu colo, eu puxei o seu vestido um pouco porá cima deixando aparecer aquela bucetinha deliciosa, o que fez o rapas ficar todo vermelho, ele tentava disfarçar mas não tinha jeito acabava olhando, e pra quebrar o gelo, falei que tinha vontade de vê-la trepando com outro homem, que pudesse comer a buceta dela de todas as maneiras, e melhor ainda se ele tivesse um pau maior e mais grosso. Eu queria ver ela gemendo em outra pica e me chamando de corno. Minha mulher ainda não tinha dito nada, ainda estava meio receosa. Vitor se entusiasmou e perguntou se poderia mostrar seu pau, assim ele vendo poderia dizer se era maior ou não, se não fosse do tamanho que ela queria, ficaríamos somente na cerveja e ele iria embora. Ela meio sem jeito, olhou pra mim e disse: pode ne, era a primeira vez que ela iria ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]