Me exibindo para a vizinha

Loading

Na minha história, todos os nomes e locais não são reais, para evitar qualquer tipo de constrangimentos, porém a história é real.

Meu nome é Antônio, sou casado, moro no interior do Paraná e tenho 31 anos, porém minha história aconteceu alguns anos atrás, só estou contando agora pois somente depois de contar para minha esposa é que tive coragem de compartilhar as loucuras que fiz.

Desde que comecei a ter sentimentos sexuais, sempre gostei de exibição, tanto de ver mulheres se exibindo nuas, como a ideia de me mostrar para mulheres, talvez seja pelo fato de eu ser tímido, mas parece que na hora que o desejo e a excitação veem, a timidez some.

Praticamente a vida inteira morei em apartamentos, ruim para quem deseja liberdade e espaço, mas ótimo para observar e ser observado pelos vizinhos.

A primeira mulher que me viu nu foi uma vizinha, ainda era novo, no início da adolescência e pelas condições, não houve nada de muito interessante. Eu já morava no apartamento em que aconteceu a história que ire contar, no 3º andar e esta vizinha morava no 8º, com as janelas laterais para as nossas, eu havia acabado de tomar banho, e devido ao calor da minha cidade, sempre estava de janela aberta, estava só de toalha e fui fechar a janela para me trocar, como era a noite, e somente o apartamento dela estava com a luz acessa, acabei olhando para cima, foi quando percebi que havia uma mulher na janela, no mesmo instante me veio os pensamentos de me mostrar, seria minha primeira oportunidade, porém a vergonha e medo me fez ficar lá, paralisado, fingindo que não estava vendo ela. Fui até o outro quarto (estava sozinho em casa) e olhei pela janela, pois o quarto estava apagado e muito provavelmente ela não teria como me ver, e para minha surpresa, ou não, ela estava lá ainda, e olhando justamente para o rumo do meu apartamento, era uma mulher mais velha que eu, algo em torno dos 19 anos, enquanto eu deveria estar com uns 14. Ainda com muita vergonha, mas com medo de perder aquela oportunidade, criei coragem, voltei para o meu quarto, fui até a janela novamente e tirei a toalha, mas desta vez sem olhar para cima, finge que estava vendo algo em baixo, nas ruas do condomínio, me sentei na cama, me movimentei um pouco no quarto, já nu, não sabia se ela ainda estava lá, a vergonha não me deixava olhar, fui até o outro quarto novamente e vi, sim, ela estava lá.

Foi uma sensação incrível, saber que uma mulher estava me observando me deixou muito excitado, comecei a ficar com o pênis ereto e decidi voltar, ainda de um lado para o outro do quarto, fiquei ainda mais excitado e fechei a janela para me masturbar, pela minha idade e como tinha sido a primeira vez que alguém tinha me visto nu, foi muito delicioso, porém pouco proveitoso, até por conta da diferença de altura entre os nossos andares, é bem capaz que ela só conseguiu me ver quando eu chegava mais parto da janela. Com essa mulher não tive mais a oportunidade de me mostrar, mas percebi que essa ideia de banho e janela funcionava, e o melhor ainda estava por vir.

Passaram alguns anos, nesse período não tive a oportunidade, de me mostrar para as vizinhas novamente, até que algo muito interessante aconteceu. O casal que morava no 5º se mudou, e quem veio morar no lugar deles foi uma mulher sozinha, assim que percebi isso fiquei pensando em como eu iria fazer para me mostrar para ela. Como não estava trabalhando nesses meses, tive condições de ficar olhando pela janela pelo tempo necessário para executar meu plano, eu percebi que de fato ela estava sozinha e que a vaga da garagem dela era uma das que davam visão tanto da minha janela quanto da dela, percebi que ela chegava em casa todos os dias em torno de 21h, e que fazia sempre o mesmo, assim que chegava em casa abria a janela da sala e também a cortina. Como em geral eu só tinha companhia em casa a partir das 22h, seria perfeito para eu me exibir, desde que ela gostasse de olhar.

Pois bem, antes das 21h em um desses dias que estava sozinho, eu tirei a roupa, fiquei de toalha e fiquei só esperando, para não correr o risco de algum outro vizinho me ver e estragar a ideia, já que não sabia quem eram todos os outros moradores e o marido de alguém poderia melar tudo, eu ficava com a janela do meu quarto fechada, só iria abrir no momento certo. Eu fiquei no escuro no outro quarto só esperando ela chegar, quando ela estacionou o carro e subiu eu corri para o meu quarto abri a janela e fiquei olhando para fora ainda de toalha, como o 5º é bem mais perto que o 8º, dava para eu ficar olhando para frente e ao mesmo perceber se algo ao redor mudava, principalmente se algum apartamento abrisse a janela e ascendesse a luz, e foi o que aconteceu, no mesmo instante eu me virei para o quarto e tirei a tolha, que sensação maravilhosa. Como eu ainda não sabia se ela iria me perceber ou não e se percebendo se ela iria gostar de ficar olhando, fiquei um pouco no meu quarto e fui para o outro, olhar pela espacinho que havia deixado na janela, para ver se ela estava lá, e sim, ela havia me percebido e ficou olhando, voltei para o quarto e fiquei sem saber o que fazer, afinal, antes não sabia se ela iria me ver, se vendo, se iria ficar olhando, então não havia pensado em tanta coisa, por isso não sabia o que fazer, fiquei mais um pouco no quarto, estava completamente nu, disfarcei um pouco e tive de fechar a janela, não queria que ela soubesse que eu sabia dela, poderia estragar tudo.

Depois desse primeiro contato, fiquei pensando em quando faria o mesmo, teria de esperar alguns dias, para não parecer que planejei, nesse tempo eu pude perceber melhor como era ela, uma mulher em torno dos 40 anos, provavelmente divorciada, não parecia ter filhos, pois nunca vi ninguém na casa dela. Eu estava com 18 ou 19 anos e acho que ela gostou da ideia de observar um homem com a metade da idade dela. Na segunda oportunidade eu estava um pouco melhor preparado, o procedimento foi o mesmo, esperei ela subir e tirei a toalha, ainda não havia criado coragem para olhar para a janela dela e correr o risco de ficarmos olho no olho, corri para o outro quarto e novamente sim, ela estava me observando. Voltei para meu quarto e coloquei uma camiseta curta que eu tinha, o que fez com que eu ficasse com o pênis totalmente exposto mesmo com a

camiseta. O fato de eu estar usando uma peça de roupa me deu uma cerca confiança a mais, ou menos vergonha, eu fiquei um bom tempo lá no quarto, sentei na cama, peguei um livro que tinha, fui voltei, fiquei a vontade, e quando confirmei pelo outro quarto que ela ainda estava lá, que coisa boa, pois parece que ela não só gostou, mas odorou.

Quando planejei a terceira exibição, eu queria ir além, por conta da proximidade dos nossos andares (3º e 5º) percebi que ela tinha visão privilegiada do meu quarto, nem mesmo o 4º andar via tanto, pois não havia altura suficiente para ver tudo, o 5º andar sim, perfeito, quando me dei conta disso confesso que fiquei com vergonha, pois ela estava me vendo nu por completo, mas também aumentou o meu tesão. Na próxima, eu iria me permitir ficar de pau duro pra ela ver, nas outras vezes eu tive que me controlar, até porque o medo de outro vizinho ver sempre existia, então não queria arrumar problemas pro meu lado, mas dessa vez eu queria surpreender e aproveitar ao máximo a situação, e mais, eu queria me masturbar com ela me olhando, iria ser lindo.

Enfim surgiu a 3º oportunidade, mas planejar e desejar é uma coisa, executar é outra, porém eu sabia que ela estava gostando, então cabia a mim tomar as atitudes. Como das outras vezes, esperei ela chegar, dessa vez eu imagina que toda vez que chegava em casa ela ficava olhando pela janela me procurando, então, deixei a janela aberta e a luz acessa, mas fiquei no outro quarto olhando no escuro, quando ela chegou, abriu a janela e ao ver a minha aberta e acessa ficou olhando, pensei, que safada, tá adorando ver o novinho pelado, sem demora fui para o quarto e me mostrei, dessa vez eu iria aproveitar, comecei a mexer no meu pênis, sem me masturbar, só mexer, tenho bastante pelos ao redor do pênis (apesar que nesta época já tinha a preocupação de aparar ao redor para não ficar feio) e acreditava que para quem estava olhando do apartamento da frente, ver o meu pênis com os pelos marcando bem ao redor seria gostoso. Ao começar a me tocar, fiquei de pau duro, o meu coração quase saia pela minha boca, foi um misto de vergonha, medo, tesão, desejo, tudo junto se transformando em pau duro, e saber que ela estala lá, me olhando e provavelmente me desejando, era muitoooo bom.

Criei coragem e olhei pela janela, queria que ela soubesse que eu sabia dela e que estava ali quase gozando por causa dela, ao olhar tive uma surpresa, ela não estala lá, corri para o outro quarto para ver melhor, não era possível que ela havia ido embora bem agora que resolvi me soltar de vez, quando olhei do quarto com a luz apagada ela de fato não estava na sala como das outras vezes, mas era melhor, ela estava me olhando da janela do quarto e no escuro, só não havia tomado todo o cuidado igual a mim que além de ficar no escuro, fechava a janela o máximo possível. Ao saber que ela estava no escuro par me ver, o tesão foi tanto que gozei ali mesmo, ela estava curtindo tanto quanto eu, que mulher sapeca e safada, eu havia conseguido seduzir ela. Fiquei no quarto no escuro mais uns 15 minutos, até que ela se cansou de olhar para meu quarto e não ver ninguém, quando saiu, corri lá e fechei a janela.

Grande parte daquilo que eu queria se concretizou, por um tempo, o desejo de me mostrar para a vizinha sossegou, afinal, por mais delicioso que seja, começou a se tornar repetitivo. Um tempo depois tive uma ideia, mas não queria planejar nada com tanta precisão, eu iria me masturbar com a janela aberta, mas sem que a vizinha estivesse lá, se por ventura ela me visse, aconteceu, senão, eu iria curtir o fato de poder ser visto, ainda que não fosse, mas a minha ideia era ligar o computar, abrir vídeos pornôs e me masturbar com a janela aberta, a minha atenção estaria no computador, porém com aquele frio na barriga de alguém poder me ver.

Quando foi num sábado a tarde, em um dia em que estava sozinho em casa, coloquei meu plano em ação, como os apartamentos da frente ficavam na diagonal do meu, parte do quarto não era também visto, ficando o lado do cama exposto para quem quisesse ver, só que o computador ficava na outra parede, a que não tinha tanta visão, então eu puxei a mesa do pc para perto da cama e fiquei sentado na cama. Eu olhei para ver se a minha vizinha estava lá, provavelmente sim, pois o carro estava na garagem e a janela aberta, mas ela não estava olhando, mas não tinha problema, o fato dela poder aparecer a qualquer momento e ver me masturbando, era o suficiente para me excitar e muito.

Tirei toda a roupa, deixei uma toalha perto para poder limpar depois de ejacular, e olha que sai muito liquido de mim, até hoje minha esposa ainda ri e fala “tá doido meu, olha esse tanto de porra”, liguei o computador, e comecei a assistir os vídeos e a me masturbar, no começo foi mais difícil que eu imaginava, afinal era sábado, provavelmente mais pessoas estariam em casa, homens, crianças, se alguém aparecesse daria muito errado, eu só aceitava mulher e de preferencia a do 5º andar.

Depois que me empolguei com os vídeos, a coisa fluiu, estava eu me masturbando na beirada da cama, com visão total para quem olhasse para meu quarto, além disso me veria praticamente de frente. De tempo em tempo olhava para a janela para ver se ela aparecia, não queria gozar sozinho, mas faria isso se não tivesse outro jeito. Depois de alguns minutos, quando já estava chegando o ponto de gozar, olhei e quem eu vejo me olhando, sim, a vizinha do 5º andar, e como nem eu nem ela planejou nada, nos vimos, olhamos um para o outro, ela sabia que eu sabia dela e o mesmo comigo, voltei a olhar para o computar e gozei, mas deixei tudo cair nas minhas mãos, foi a gozada mais deliciosa até então, eu estava com o pênis muito firme e o esperma subiu gostoso e escorreu pela minha mão, aquele banho de esperma, me levantei, olhei de novo pra ela, ela ainda estava fixa me olhando, eu lá, de pau duro, todo melado e em pé, olhei para ela de novo e fechei a janela.

Foi maravilhoso, além do planejado, eu sabia que ela poderia aparecer, mas não sabia se iria, e deu certo, foi lindo, foi natural foi muito excitante. Depois disso resolvi deixar ela sossegada.

Na minha próxima história irei contar se tive coragem de ficar completamente nu na frente da nossa antiga empregada, Joana.