Me sentindo completo.

Loading

Meu nome é Everton vivo a sete anos uma historia de amor com Milton.
Milton era meu vizinho ele é dois anos mais velho que eu crescemos juntos brincávamos, brigávamos, fazíamos as pazes em minutos, estudamos juntos, isto é na mesma escola, ele sempre foi muito alegre e divertido e isto me encantava sua espontaneidade facilidade de fazer amigos, se socializar, principalmente porque eu não era assim ao contrario eu era bem tímido.
Eu sempre me senti bem ao lado de Milton, gordinho, usuário de óculos eu era muito zoado e como sou muito tímido não conseguia responder a altura, mas se Milton estivesse perto ele me defendia retrucando a zoação.
Quando Milton tinha 18 anos ele sofreu um acidente andando de bicicleta foi atrolepelado por um carro o que o deixou paraplégico. Todos ficamos tristes e incertos do futuro, mas Milton permaneceu alegre, tirando sarro, fazendo piadas das situações, dificuldades e eu sempre por perto.
O tempo foi passando e Milton não se fez de coitadinho sempre tentando ser o mais independente possível, mas sabendo reconhecer suas limitações pedindo ajuda ou encontrando maneiras criativas de superar os obstáculos aquilo fazia de Milton para mim ainda mais especial. Muitos dos seus "amigos" se afastaram, mas seu sorriso fácil, seu jeito alegre e contagiante trouxe novos amigos.
_ Everton quero fazer academia vai facilitar muito minha vida, vou precisar de mais força nos braços agora além de querer dar aquela definida ne?
Disse Milton me dando uma piscada.
_ Acho uma boa ideia! Ate eu deveria ir junto para ver se perco alguns quilinhos, mas me da um desanimo.
_ Que isso cara, vem comigo! se voce desanimar eu te animo, afinal você é ou não meu escudeiro?
Fiquei todo vermelho com aquelas palavras e com aqueles olhos me olhando seu sorriso aberto não resisti e aceitei o desafio.
A primeira dificuldade foi encontrar uma academia minimamente adaptada ou seja que Milton conseguisse entrar com a cadeira de rodas, ir ao banheiro, circular entre os aparelhos. Conseguimos em uma no bairro ao lado o bom disse Milton e que já íamos aquecendo com uma gargalhada deliciosa no final. Confesso que a ideia não me agradava muito, mas o fato de estar mais um tempinho junto com Milton o esforço compensava e como kkkk.
A força de Milton, sua disposição era contagiante mesmo quando eu não queria ir na academia ou parava os exercícios la vinha meu amigo me animar o que realmente fez com que os resultados aparecerem. Miltom desenvolvel seu ombros, seus braços, nossa que delicia aquele tanquinho com seus pelinhos que desapareciam no short e eu também perdi alguns quilos e já podia ver um pouco de desenvolvimento nos braços, ombros e pernas, não como Miltom, mas já havia emagrecido muito desde que começamos.
Um dia voltando da academia percebi que estava sem as chaves de casa e ao chegar em casa bati a campainha e ninguém atendeu.
_ Há cara minha mãe saiu e estou sem chaves!
_ Sem problemas vamos para minha casa.
_ Mas eu estava muito afim de um banho estou morto e fedido.
_ Então somos dois cara, mas da nada não toma banho la em casa.
_ Sei não Milton.
_ Que isso Everton? Que mal há em você tomar banho la em casa se for vergonha dos meus pais relaxa eles ainda não chegaram e a Margo (empregada da casa) já deve

ter ido embora a uma hora dessas.
Aceitei e la fomos nos para a casa de Milton, que mal entrou já tirou sua camisa.
_ Pode tomar banho primeiro enquanto eu preparo um lanche para nos que estou varado de fome e voce deve estar também. Se a cadeira atrapalhar coloque ela aqui no quarto.
_ Não Miltom não precisa depois eu compro qualquer coisa para comer.
_ Não ta confiando no sanduba do Miltão aqui não é?
_ Não é isso cara, é que....
_ Então relaxa vai tomar seu banho que logo vai comer o melhor sanduíche da tua vida kkkk.
Eu não estava acreditando, eu estava tomando banho na casa do Miltom no banheiro dele quantas vezes eu sonhei com aquilo, claro que nos meus sonhos eu estava tomando banho com ele ne, mas isso já era coisa da minha cabeça. O Banheiro era um suíte todo adaptado feito especialmente para Miltom depois do acidente, tirei a cadeira de banho do meu amigo, tirei toda minha roupa e comecei meu banho. Terminei o banho pego a toalha e antes de me enxugar cheiro para sentir o cheirinho do meu amor platônico, nossa que delicia que cheiro bom, olho para o cesto de roupas e não resisto pego uma cueca de Miltom e começo a cheirar quando escuto um barulho jogo a toalha no cesto a porta se abre me assusto.
_ Que foi cara?
_ Me assustei com você abrindo a porta e por falar nisso sai daqui estou pelado!
_ kkkkk larga de bobeira Everton, os sanduíches estão prontos, quer uma roupa minha?
_ Sim mas sai do quarto para eu me vestir digo me escondendo na toalha.
Milton puxa minha toalha e joga do outro lado do quarto e empurra sua cadeira que vai para trás rápido rindo da minha cara.
_ Que criancice Milton.
_ Você ai todo cheio de timidez só estamos nos aqui Everton ta com medo de quem te ver pelado eu?
_ Sabe que tenho vergonha.
_ De que cara ? se você ficar com vergonha de você mesmo, quem vai te respeitar? Um cara tão legal, divertido inteligente, se escondendo, porque? Por causa de um par de óculos, uma gordurinha? Se você quiser pode usar lente e ficar parecido com os outros, pode emagrecer e se você prestar atenção já esta com um corpo bem mais magro agora olha para mim Miltom eu estou numa cadeira de rodas, não há nada que eu possa fazer para mudar isso e mesmo assim eu não vou deixar ninguém tirar sarro de mim por isso, não vou me esconder porque sou diferente, vou treinar, aprender coisas ficar mais e mais independente, o que eu não souber ou não conseguir fazer sozinho eu pedirei ajuda, farei o possível para estar sempre bonito, cheiroso, charmoso e alegre não só por mim, mas por todos que estão ao meu lado.
Ouvindo tudo aquilo que Miltom disse meus olhos ficaram cheios de lágrimas e quando ele terminou num impulso me atirei sobre a cadeira e o abracei.
Kkkk que isso cara? Que carência é essa agarrando um cadeirante todo suado?
_ Eu gosto do teu cheiro
Disse sem pensar quando percebi o que estava fazendo me levantei e me afastei todo vermelho de vergonha.
_ Desculpa, desculpa eu.. eu... ai meu De...
_ Hum então você curte um cheirão de macho suado?
Disse Miltom tirando sua roupa.
_ Pronto agora nos dois estamos ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]