Minha amante, uma puta

Loading

Conheci minha segunda mulher numa festa na casa de uma prima a quem eu comia. Minha prima me contara que Maria Amelia tivera diversos amantes apesar de ser casada e ter filhos. Contou também que achava que seus filhos não eram de seu marido e, sim, de amantes.

Quando a conheci, vestia um macacão preto, decotado, exibindo o vale dos seios que eram grandes e firmes, sem soutien. Estava maquilada, com cílios postiços e calçava sapatos de salto, empinando a bundinha. Desde o primeiro instante, senti atração por aquela mulher alegre, risonha e bem humorada. Ela estava sozinha na festa, mas não tive oportunidade de obter seu telefone para posterior contato. Sai de lá frustrado.

Durante dias pensei naquela mulher sem saber como contatá-la. Finalmente, decidi perguntar à minha amante seu telefone. Eu já estava me desinteressando de minha amante que, apesar do ciúme, forneceu seu telefone e endereço. Era próximo de onde eu morava.

Ciente que seu marido não estava em casa, liguei para ela numa tarde, identificando-me. Conversamos por algum tempo e revelei que a achara atraente e gostaria de revê-la a sós.

Combinamos de nos encontrar num shopping e almoçarmos juntos na 6ª. feira seguinte. Ela chegou vestindo uma saia curta, blusa decotada revelando os seios parcialmente, maquilada e com sapatos de salto. Estava linda. Beijei seu rosto e entramos de mãos dadas.



Estes encontros se repetiram por algumas semanas. Como já estávamos íntimos, contou que seu marido a usava em encontros de negócios em que se insinuava para facilitá-los. Assim conheceu alguns de seus homens. Engravidou 3 vezes parindo 2 moças um varão, porém não os amamentou, preservando os seios. Sempre que engravidava seu marido a espancava e jamais registrou os filhos que teve pois eram bastardos. Após a última filha solicitou que o médico fizesse a laqueadura, tornando-se estéril.

Sua vida mudou e trepava satisfazendo seus instintos sexuais. Seus segredos eram compartilhados com sua irmã e minha prima. Sua irmã introduziu-a no mundo do lesbianismo e teve algumas amantes que a satisfaziam. Entretanto seu marido descobriu dando-lhe uma surra inesquecível. Apesar dos gozos que experimentara com as amantes, voltou a ter homens em sua cama. Frequentou diversos motéis contraindo gonorreia 2 vezes. Tratada, absteve-se de sexo com parceiros, satisfazendo-se solitariamente.

Fui o primeiro homem que a interessou depois disso.

Convidei-a a um motel. Pediu para tomar um banho. Despiu-se de costas para mim enrolando-se numa toalha. Voltou ainda molhada e deitou-se abrindo as pernas. Estava depilada. Sua vagina era rosada. Comecei a sugar suas tetas e os mamilos incharam, eretos.

“Chupe a bucetinha para que eu goze”, pediu. Lambendo e mordendo a parte interna de suas coxas, cheguei na xoxota, metendo a língua. Maria ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]