Minha colega de faculdade

Loading

Esse é mais um conto que escrevo, dessa vez com uma colega minha de faculdade.
Eu tenho 18 anos e falarei que me chamo João (óbviamente um nome fictício) e me envolvi com uma garota chamada Alice (também fictício, não duvido nada de que ela goste de ler contos eróticos).
Alice tem 22 anos e namora, ela tem peitos bem grandes e uma bunda que não é diferente de outras, é uma bunda bonita, uma bunda diferente de atrizes de filmes pornô (já que os filmes pornôs são feitos com base no prazer masculino), mas é uma bunda que você sente vontade de apertar. Seu cabelo é liso e preto, ela possui uma franja reta na testa e bonita. Ela usa óculos e possui olhos castanhos.
Meu relacionamento com ela não é nada mais que dois colegas de faculdade que estudam juntos as vezes, na verdade, é um grupo de colegas que estudam juntos, eu e Alice estamos incluídos nesse grupo. Eu tenho certa facilidade com algumas matérias e Alice pede minha ajuda para fazer algumas atividades e até para estudar para a prova. Eu não tinha nenhuma intenção sexual com ela, quero dizer, vamos deixar claro que meu pensamento era não ter nenhuma intenção sexual, eu já me masturbei pensando nela, mas como ela tem namorado eu nunca tentei algo com ela. Eu não costumo flertar e também sou focado em coisas que eu considero importante (tipo a faculdade).
Tudo começou com um dia em que ela me chamou no whatsapp pedindo ajuda para uma prova que teríamos no dia, eu respondi que ajudaria ela e marcamos de chegar mais cedo na faculdade. Cheguei e fui para a biblioteca onde ela estava sozinha em uma mesa no canto, me sentei com ela e abri o caderno para começar a ensina-la. Eu dominava a matéria e ensinar para ela seria algo tranquilo para mim. Onde ela estava sentada, em sua direita havia a parede do canto da biblioteca onde estávamos, eu estava sentado à sua esquerda, no lado dela bem perto para que possamos falar devagar e não incomodar outras pessoas. Conversamos um pouco de forma social para nos prepararmos para os estudos e no meio disso, o lápis dela caiu no chão, eu me abaixei para pegar o lápis e ela também se abaixou, nisso meu braço roçou em seus seios, seus grandes seios, e além quando ela percebeu isso, ela quase que caiu e eu senti o peso de seu corpo em meu braço, senti seus peitos apertarem contra meu braço, ajudei ela a se levantar.
— Vamos esquecer isso. — ela disse sorrindo.
— Acho que vou lembrar dessa situação mais tarde. — eu disse brincando.
Ela riu e começamos a estudar. Ao final parecia que ela tinha entendido toda a matéria e fomos fazer a prova. Eu fiz a prova tranquilamente e fiquei esperando fora da sala algum colega meu terminar a prova para talvez comermos alguma coisa, ou esperar a próxima aula. Depois de um tempinho quem saiu da sala foi Alice.
— Nossa eu fui muito bem nessa prova, eu não acredito que eu aprendi a matéria. — ela disse.
— É claro que você foi, eu que te ensinei, — eu disse brincando.
— Eu te devo muito, acho que se eu fosse mal nessa prova eu iria desistir dessa matéria.
— É

vou cobrar no futuro esse favor, haha. — eu disse.
— Vai ficar para a próxima aula? — ela perguntou.
— Vou sim, e você?
— Também, vamos esperar lá na escada.
E fomos andando até uma escada que tem dentro do prédio da faculdade, a escada ficava muito vazia quando está em horário de aula, e como eu e ela saímos cedo da sala, ainda restava mais ou menos 30 minutos que ficaria esse vazio na escadaria. Nos sentamos em um canto e começamos a conversar sobre coisas aleatórias. Um momento importante foi quando as coxas dela começaram a encostar nas minhas, já que estávamos sentados um do lado do outro.
— Nossa, minha calça está com uma textura de que vai estragar não é? — ela perguntou.
— Não sei dizer. — eu respondi.
— Aqui, sente. — ela disse e pegou minha mão e colocou sobre a coxa dela (e foi bem acima do joelho) para eu ver a textura da calça.
A calça dela era uma legging, eu não tinha a menor idéia se tem como perceber que ela vai estragar com a textura mas eu senti o calor do corpo dela nesse momento, acariciei de leve como se só estivesse mesmo verificando a textura da calça.
— Ainda não sei dizer. — eu disse.
Alice com sua mão esquerda segurou a minha mão esquerda que estava na coxa dela (eu estava à direita dela), e com a mão direita dela, ela começou a acariciar minha coxa. Ela começou a massagear, apertar como se estivesse pedindo para que eu faça o mesmo com ela.
— Está tentando me dizer alguma coisa? — eu perguntei de forma imbecil, era óbvio que ela estava dizendo alguma coisa.
— É uma sensação boa ficar sentindo isso. — ela disse a respeito de minha mão estar massageando a coxa dela.
Nesse momento percebi que meu pênis estava muito, mas muito duro. Geralmente eu percebo ele endurecer, mas dessa vez eu só tive noção de meu pênis a partir desse momento, estava igual pedra. E em um momento as costas da mão de Alice que estava acariciando minha coxa tocou na cabeça do meu pau. Ela olhou para mim e para minha boca, estava implorando para eu beijar ela, ela começou a se aproximar de meu rosto mas eu virei ele. Ela tem namorado, eu pensei, ela tem namorado e isso vai causar problemas. Ela soltou minha coxa na hora e começou a se levantar.
— Desculpa... Olha... — ela tentou falar alguma coisa mas não sabia o que dizer.
— Vamos esquecer isso. — eu brinquei.
— Acho que vou lembrar dessa situação mais tarde. — ela disse da mesma forma que eu havia falado com ela antes da prova. — Vou faltar a próxima aula, depois dessa prova eu quero beber.
— Vai beber o que? — eu perguntei.
— Acho que vou roubar uma garrafa de uísque de meu pai, ele está viajando com minha mãe.
— Nunca bebi.
— Quer provar? — ela perguntou.
— Claro. — eu respondi.
Pensando nisso agora eu percebo que foi loucura, me recusei a beijar ela mas aceiteir ir até a casa dela para provar uísque. Nós matamos aula e pegamos o ônibus para ir até a casa dela, no caminho nosso corpo chegou a se tocar as vezes de uma forma gostosa.
Chegamos na casa dela e ela me deu ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]