Minha esposa Karlinha, alegria da molecada

Loading

Quem leu meu primeiro conto (Conhecendo minha esposinha) sabe como é minha esposa. Uma mulher super independente e extrovertida, mas vaidosa e teimosa demais! Sempre disposta a me contrariar! Magrinha, seios pequenos e bumbum médio, 56 Kg, morena, cabelos pretos, lisos; muito delicada e feminina. Viciada em salto alto, tamancos, saínhas e tops. Eu confesso que é mulher demais pra mim que sou acanhado e sem sal. Mas ela diz que me ama, e é isso que importa.


Depois do estrago que os dois professores de jiu-jítsu fizeram em minha mulher (vide o conto anterior), preferi ficar em silêncio e fingir que não sabia de nada. Queria saber até onde minha mulher poderia ir. Queria saber quem era a mulher com quem eu me casei. No outro dia, ela estava super sorridente e carinhosa comigo, mas reclamando de dores no bumbum (por causa da surra de pica que ela levou). Fui até a farmácia comprar um analgésico pra ela tomar.


Passaram-se meses até que ela resolveu aprontar de novo. Meu circuito de câmeras escondidas que instalei em casa captou tudo! Desta vez foi com a molecada do meu prédio. No meu prédio havia um bando de adolescentes, uns 5 garotos que passavam a tarde toda conversando na porta do prédio. Riam alto e ficavam mexendo com mulheres na rua. Isso quando não traziam revistas pornôs para ficarem folheando. Resumindo, um bando de jovens aproveitando a puberdade, com a testosterona a mil.


Todas as vezes que ela chegava do trabalho, toda gata, de social e salto alto, eles não hesitavam em encará-la ou mexer com ela. Eram muitos assobios, chamando-a de gostosa, deliciosa, tesão. Tentei tirar satisfação, mas ela disse: “Ah amor, são só garotos, deixa pra lá”.


Minha esposa havia entrado de férias no trabalho e por isso ficava a tarde toda em casa, enquanto eu trabalhava. Um dia ela foi fazer compras no supermercado aqui no bairro, por volta de meio dia. Combinamos de ela me deixar no trabalho antes de seguir para o lá.


Pra ir fazer compras ela vestiu um shortinho bem leve, não colante, com abertura lateral. Dava pra ver metade do bumbum dela e parte da calcinha rosa, quando ela virava de perfil. Um top preto com um decote sensacional e, é claro, seus enormes tamanquinhos que a obrigavam a empinar o bumbum e rebolar quando andava.


Ela colocou seus óculos escuros e saímos juntos. Deixou-me no trabalho e foi fazer compras. Quando retornou do supermercado, imagino que ela estivesse com muitos embrulhos e sacolas para levar sozinha. Foi quando ao passar pela portaria do prédio, pediu aos garotos, ali sentados, que a ajudassem a levar as sacolas.


Um deles, mais malandro, respondeu: Mas o que você nos dá em troca? Ela riu meio que sem graça

e disse: “Ah meninos, por favor, me ajudem! Prometo fazer um suquinho bem geladinho pra gente lá em casa!”


Os garotos prontamente atenderam, e ela agradeceu com um sorriso. Cada um pegou uma sacola, enquanto ela seguia na frente para subir as escadas. Era tudo que a molecada desejou: Minha esposa subindo a escada acima deles, colocando a bunda dela praticamente na cara de quem vinha atrás. Viram as ruginhas do bumbum e é claro, a velha mania dela de vestir calcinhas socadas no rabo. A molecada ficou imediatamente com seus paus duros, denunciados pelo volume de seus shorts.


Ela abriu a porta do apartamento e pediu para a garotada entrar. Fechou a porta e pediu para colocarem as sacolas na cozinha. Os garotos em minha casa riam alto e faziam piadinhas. Minha esposa entrava na deles, e ria junto. O malandro da turma liderava o deboche de um dos garotos que até àquela hora estava de pau duro.


Sentaram os 5 no sofá. Minha esposa acabou sentando no meio da turma, sempre simpática e comunicativa, ligou a TV para assistirem. Ela de shortinho, cruzou aquelas pernas deliciosas.


Um dos garotos (o malandrão) falou alto: Ei… É TV por assinatura? Ela disse: “Sim!” Ele retrucou: “Não tem canal pornô aí não?” “Coloca pra gente”. Todos riram muito da situação, minha esposa totalmente à vontade com aquilo, riu também e disse: Vocês são uns moleques safados. Vai então, vamos ver um filme! Safados!”E colocou no canal de putaria.


Coincidentemente passava um belo filme sacana, onde uma mulher era duramente deflorada por 5 machos sobre uma mesa. Minha mulher disse: “uau, o que é isso gente!” “como aquela mocinha ali agüenta tanto homem de uma vez?”


O malandro da turma respondeu: “isso aí não é nada, quero ver ela me agüentar”. Minha mulher riu e disse: “hahaha ah é? E o que você tem de tão terrível assim?” Ele respondeu: “meu pau é bem maior que o desses caras aí”; Ela riu muito e disse: “hahaha uhum!!! sei!!!” Nessa hora surgiu uma discussão entre os garotos, sobre quem tinha o pau maior e mais grosso.


Minha mulher tomou a palavra deles e disse: “calma, meninos, esperem!” Vou ali ao quarto pegar uma fita métrica e EU vou dizer quem de vocês tem o pau maior e mais grosso. Serei imparcial, juro! Os garotos, na hora, ficaram todos ouriçados e, totalmente inquietos e diziam: “isso mesmo, vai lá então buscar. Boa idéia!”


Ela se levantou e foi no quarto trocar de roupa e pegar a fita métrica. A safada vestiu um micro short de lycra, sem calcinha. E voltou com a fita métrica na mão! E falou bem alto: “então quem vai ser o primeiro?” Lógico, começou uma algazarra e confusão e diziam: “eu! eu!”


Ela disse: ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]