Na festa de aniversario delas só tinha um homem

Loading

(escrito por Kaplan)
Pouca gente sabe, mas a idéia de comemorar aniversário ou fazer uma despedida de solteira colocando um homem nu dançando e deixando se pegar pelas mulheres presentes, teve inicio em nossa cidade com a Meg, quando ela foi convidada pela Letícia, sua amiga, a organizar uma festa de aniversario diferente.

Meg logo pensou em sacanagem, mas primeiro conversou com a amiga, queria saber quem iria, para pensar o que poderia ser feito. Quando ficou sabendo que não haveria homens, só mulheres, e nada de mães, avós ou tias velhas que poderiam ficar escandalizadas, levou a idéia para Letícia, que, mesmo dando gargalhadas e chamando Meg de louca, topou.

Meg pediu que ela não comentasse com ninguém, para ser uma surpresa total.

Então ela entrou em contato com Mateus, um amigo bem safado, com quem ela já tinha transado várias vezes. E que tinha um pau bem grande!

E no dia e local determinados, lá estava um grupo grande de amigas, doze contando com Meg e Letícia. E muita bebida, muito falatório, gritaria, risos… até que Meg interrompeu o barulho e avisou que haveria um presente especial para todas ali reunidas.

Silêncio absoluto, ela colocou uma música e abriu a porta da cozinha. Falou com o Mateus que poderia entrar. E deu uma chupada no pau dele para endurecê-lo.

E ele entrou, pelado, pau duro, levando algumas argolas na mão. A gritaria foi geral! E ele dançava, o pau ia prum lado e pro outro, e todas rindo e admirando o pauzão dele.

Meg interrompeu a música e falou que haveria uma brincadeira com aquelas argolas que ele carregava. Mandou que ele deitasse no chão, e falou que todas iriam jogar a argola e deveriam fazer com que ela caísse em volta do pau dele. Quem conseguisse deveria tirar, de uma caixa, um papel que dizia o que ela deveria fazer.

– Mas, minha gente. Precisamos definir algumas coisas. Primeiro: o que acontecer aqui fica aqui, não é pra sairmos falando pra deus e o mundo; segundo, a brincadeira tem, sim, uma natureza sexual, e pode ser que alguma de vocês não aceite, nem queira participar. Fiquem à vontade, podem ir para o quarto e esperar lá, ou podem simplesmente ver, sem participar. OK? Então… alguém não quer participar?

Ninguém se manifestou. Ótimo, pensou ela e foi a primeira a atirar uma argola. Não fez questão nenhuma de acertar e ela foi parar na barriga do Mateus. Uma outra estava tão nervosa que a argola chegou perto do rosto dele. Em

meio a gargalhadas, Letícia fez questão de acertar e acertou. Sob aplausos, ela tirou da caixa um papel e quase agachou de tanto rir. Não conseguia falar o que era, matando todas de curiosidade. Então a Meg pegou o papel e leu: ela teria de fazer um boquete nele.

Mais gritos, quase histéricos. E Letícia, vermelha, foi até o Mateus e fez o boquete nele. E demorou!!! A ponto de ouvir reclamações.

Mais duas acertaram. Uma teve que colocar o pau dele entre os seios e ficar friccionando. A outra teve de beijar o corpo do Mateus por inteiro.

As que erraram tiveram uma segunda chance e mais três acertaram. Uma teve de ficar nua e deitar em cima dele; outra teve que beijar a bunda do Mateus e a terceira teve a xotinha lambida por ele.

Vendo que a brincadeira começava a se esgotar, Meg, que havia perdido a primeira vez de propósito, falou que ia encerrar. E levou a mão à caixa para tirar o papel. Só que, matreiramente, ela segurava um papel na mão, sem ninguém ver e foi aquele papel que ela tirou. E vocês já sabem o que estava escrito nele… claro…

– Lamento, meninas, nenhuma de vocês teve a sorte que eu tive… leia aqui, Letícia!

Leticia pegou o papel e fez uma cara de espanto.

– Não acredito que você vai fazer isso!

– Vou sim, este foi nosso trato, ninguém poderia recusar o que estivesse escrito.

– Gente, ela vai cavalgar o Mateus!

Silêncio total, todas de olhos arregalados. Mas ela não quis nem saber, tirou a roupa e foi sentar no pau dele, dando uma piscada de olhos que ele entendeu… ela tinha feito uma treta qualquer para ser a premiada…

E ela pulou e pulou até gozar. Seu corpo caiu sobre o dele. Que, baixinho, agradeceu a ela.

Bem, ela se levantou e foi para o banheiro com o Mateus. Ele estava suado, ela também, tomaram um banho e ela notou que ele continuava de pau duro. Já sabia a razão… e deu o cuzinho pra ele.

Voltaram à sala, a festa estava acabando, umas quatro já tinham saído, as outras conversaram mais um pouco e foram embora. Ficaram só o Mateus, a Meg e a Letícia. Que fez questão de pegar o telefone dele e, sem rodeios, falou que iria telefonar para fazerem um programa completo. Ele foi embora, Letícia agradeceu demais à Meg, que também foi pra casa.
...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]