Na visita do meu cunhado, fui sua puta novamente

Loading

Depois daquele fato ocorrido em que o pedreiro do meu cunhado e ele próprio me comeram em sua casa, eu sabia que seria chantageado mais cedo ou tarde. Pois é, um tempo depois meu cunhado me ligou dizendo que viria a minha cidade e gostaria de almoçar comigo na minha casa e queria que eu preparasse o almoço. Bem no dia em questão levei minha esposa para o trabalho como de costume e voltei para casa, comecei a preparar o almoço. Lá pelas 11 horas ele me ligou dizendo que estava chegando e que queria ser tratado muito bem, queria um drink, o almoço bem gostoso e mais, queria que eu estivesse vestida completamente de mulherzinha, bem gostosinha para ele. Terminei o almoço pouco depois, tomei um banho e aproveitei para me depilar as penas, a bundinha, o saco e o rego e tudo que pude. Vesti uma calcinha de renda preta, meias 7/8, sutiã pretinho de renda, uma sainha tipo tubinho coladinha preta, uma blusinha branca, cinto e sandálias de salto 15, uma mulherzinha perfeita. Em seguida o porteiro anunciou sua chegada, autorizei e deixei ele colocar o carro dentro da garagem. Ele entrou, me olhou, mandou eu dar uma voltinha e deu um assovio de prazer, muito bem, está linda minha puta, disse ele. Alcancei a ele sua bebida e nos sentamos para conversar. Eu disse a ele que deveria tomar cuidado, por que não poderíamos pisar na bola e deixar nossas esposas descobrirem, mas ele me disse que ele tinha duas esposas, a legítima e eu, para ficar tranquilo que só se comportaria assim quando estivéssemos sozinhos. Me chamou e me mandou sentar em seu colo, me acariciou muito, me deu um beijo babado, me beijou o pescoço, as orelhas, enquanto passava

suas mãos nas minhas coxas, nas minhas tetinhas, me chamando de gostosa. Ficamos assim até ele terminar seu drink, em seguida fomos para a mesa e almoçamos tranquilamente. Depois ele subiu para o quarto (quarto de casal) e disse que iria me esperar lá em cima, enquanto isso, tirei a mesa e arrumei a louça. Depois subi para o quarto ele estava deitado, me perguntou onde ficava o lado da minha esposa, casualmente ele estava no lado certo, isto é, no meu lado da cama. Estava só de cuecas e me mandou deitar do lado, começou a me acariciar as coxas, a barriga, as tetinhas, me beijar e me disse no ouvido que ele iria me comer bem no lugar da minha mulher, ele era meu macho e eu a sua putinha, disse que sim, seria sua amante, ele forçou minha cabeça para baixo, entendi que queria que eu chupasse seu pau, desci sua cueca e acariciei aquele pau grosso, cheio de veias latejantes e muito quente, acariciei a cabeçona, lambi devagar, passando a língua na glade, na pontinha e abocanhei a cabeçona, ele gemia e dizia palavras desconexas, chupei o mastro, fui até as bolas e coloquei na boca, primeiro uma, depois a outra, lambi o rego, ele se contorcia todo, em seguida abocanhei novamente a cabeça e coloquei tudo que pude na boca, senti o gosto de macho na guela, ele despejou seu pre-gozo na minha boca, salgado, denso e melado, continuei chupando com força e com ritmo, ele tirou minha cabeça, porque não queria gozar ainda, me deu mais alguns beijos, me virou de bruços, levantou minha saia, arredou para o lado a calcinha e passou sua língua quente e babada no meu rego, no cuzinho, arrancou arrepios, por baixo ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]