O que uma banana não provoca…

Loading

(escrito por Kaplan)
Outra história interessante, envolvendo Meg, a irmã dela, Teresa, e um amigo, o Jorge, que morava em outra casa do sítio, e com quem a Teresa já tivera um caso.

Num dos dias em que Meg esteve lá, as duas estavam conversando na cozinha. Teresa estava acabando de lavar a louça e Meg sentava-se em uma banqueta.

Eis que o tal Jorge chega e já fica entusiasmado de ver a Meg com um vestido curtinho. Sentou ali perto dela e ficou batendo papo. Como a Teresa já tinha falado dele, ou seja, já tinha feito a propaganda dos atributos do rapaz, Meg já o olhou com interesse.

E o cara era bom de papo e para demonstrar

que ficara afim dele, Meg pegou uma banana, alisou-a como se alisa um pau, descascou-a e ficou chupando. Isso mesmo, não comia, chupava a banana como se chupa um pau. E sempre olhando para o Jorge…que, homem sabido, logo percebeu o interesse dela pela sua banana.

– Você sempre chupa bananas tão bem assim?

Ela sorriu e deu a ele a banana que ele deu uma dentada, reduzindo-a à metade.

Ela, então, tirou a calcinha e ficou sentada com as pernas abertas, ele vendo a xotinha dela.

– Entendi… você gosta de comer bananas por aí…

– Entende as coisas rápido… gosto disso.

E enquanto ele punha a mão na ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]