O VELHO ADORA COMER CRENTE CASADA

Loading

O que vou relatar aconteceu comigo e um senhor que conheci quando me mudei para cá no meu apto do CDHU, sou Luciana sou évangelica da assembleia de Deus como não posso mentir tudo aqui relatado e a mais pura verdade, tenho 26 anos e estou casada a 5 anos com um homem maravilhoso que tem 32 anos nos conhecemos a muito tempo estava na escola agrícola aqui na nossa cidade onde estudava para ser técnico em agronomia estudava em uma escola de modelos mesmo com a insistência de seus pais que são de boa classe económica, decidimos ter a nossa casa e sem nenhuma ajuda de sua família.

– E assim como combinamos e compramos este apto no condomínio do CDHU aqui na nossa cidade e foi onde tudo começou em um bairro comum, onde haviam casas bonitas e também feias, não nos socializava-mos com nossos vizinhos, inclusive meu marido tinha asco por um de nossos vizinhos, dizia que vivia a olhar para minha bunda, mas fiz crer que não tinha que agir dessa forma dizendo que nosso vizinho não passava de um velho.

– A meu parecer o Sérgio com seus cinquenta e tantos anos nas costas uma enorme barriga cervejeira e um rosto de sogro sempre de mau humor com rugas, com certeza nunca teve a oportunidade de observar uma mulher tão atractiva, quando disse isso a meu marido relaxou e me devolveu um sorriso. Ademais a esposa do velho Dona Claudete era uma senhora muito amorosa e me entreteria conversando quando vinha pedir algo de vez em quando, assim que lhe pedia para falar com seu marido a não ser tão antipático com o meu marido.

– Para dizer a verdade minha intimidade com homens era muito estreita o único que estive na cama foi com meu actual marido quando estava com 17 anos e perdi minha virgindade sempre me tratou com muito respeito porém nestes anos de casados com um filho ainda não me sentia uma mulher de verdade e realizada não sei se você me entendem.

– Bem creio que essa pequena introdução vocês deram conta de como estava minha vida em geral bastante normal, tudo começou fazem 6 meses como já lhes disse que a vida sexual com marido já não era como antes, o que quero dizer é que me sentia uma mulher cada vez mais necessitada.

– Meu marido trabalha em uma fazenda aqui na nossa cidade e me deixa a maior parte do tempo so com meu filhinho, pois lhes pagavam bem enquanto se dedicava a nossa casa, quando uma tarde fazia tanto calor que coloquei um jeans ajustado uma blusinha leve e sai para tomar um sorvete com meu filho, quando andava na rua percebia homens olhando para mim descaradamente para minha bunda e meus seios, o surpreendente foi que aquilo começou a me excitar e não podia evitar de andar de maneira sensual para provoca-los, e alguns mais atrevidos provocavam-me: OLHA SÓ QUE BUNDONA GOSTOSA VOCÊ TEM CARA DE CHUPADORA VOCÊ GOSTA DE LEVAR VARA SUA CADELA, minha excitação chegou ao máximo, naquele momento estava descobrindo uma fuga para saciar minha carência.

– Fui rápido para casa e trancada no quarto me masturbei e não minto em dizia que em intervalos de 10 minutos voltava a manipular minha boceta e gozava novamente até exausta saciar minha sede por carinho, lembrando daqueles homens atrevidos excitados e desejosos por meu corpo na manhã seguinte meu marido já não estava a meu lado, havia saido ao trabalho e fiquei ali só com minhas recordações, não demorei em tomar uma ducha me vestir com outro jeans ajustado ao corpo e sair a caminhar aquilo começava a se tornar um vicio só a caminhar a observar e escutar os comentários não demoravam a aparecer e o ocorrido no dia

anterior voltava a suceder, no dia seguinte voltava a sair , e no seguinte e no seguinte e definitivamente era feliz com meu novo hobby estava ciente que minhas provocações aqueles estranhos na rua me excitava e me fazia sentir mulher cobiçada era como uma BELA PRINCESA entre seus plebeus famintos e desejosos de CARNE FRESCA sujos e mau cheiroso desejosos de carne.

– Um dia que estava muito excitada em uma quarta feira coloquei uma mini saia mostrando minhas coxas destacando a forma de minha bunda pois minha pequena tanga a delineava, sai de casa disposta a chamar atenção de todos homens da rua, caminhei muito esse dia e escutei muitos comentários asquerosos, cruzei o parque central e um velho mal vestido estava sentado em um banco, passei junto e o escutei com uma voz rouca ME DEIXA LAMBER SUA BUCETA SUA PUTA, senti uma verdadeira carga eléctrica percorrer meu corpo, me senti empapada, foi como um orgasmo instantâneo, parei por um segundo e logo como pude segui caminhando, assustada, emocionada e sobretudo excitada, nunca me haviam chamado assim, de pronto tudo era tão claro, assim me gostava sentir, provocativa, toda uma P U T A, naquele momento tudo que ansiava era estar em casa, quando cheguei me dirigi directamente ao banheiro e liguei a agua para enchar a banheira, planejava me acariciar por horas se fosse preciso, estava desesperada e ansiosa DEIXA EU LAMBER SUA BUCETA SUA PUTA SONAVA EM MINHA CABEÇA e me causava calafrios.

– Estava para fechar a porta do banheiro quando ouço a campainha, quem poderia ser, deixei para lá, tocaram mais uma vez, desliguei a torneira pois a banheira já estava no ponto certo, quando abri a porta e lá estava o velho asqueroso do Sr Sérgio o nosso vizinho pois logo que abri mirou os olhos fixos em meus seios, percebi que minha blusa estava molhada pelos respingo da agua no banheiro e meus seios colados ao tecido, isso me excitou, não posso negar.

– Primeiro desculpou-se em incomodar e pediu um pouco de açúcar dizendo que Claudete não pôde vir pois estava no trabalho, por um momento fiquei a reparar como me devorava com os olhos e por educação pedi que entrasse e me acompanhasse até a cozinha sabendo que não tirava os olhos de minha bunda, queria vê-lo desejando-me, me estremecia saber que estava só em casa com um velho louco para provar meu corpo, quando chegamos a cozinha, me inclinei para pegar o açúcar no gabinete de baixo do armário, me demorei simulando que não encontrava, mirei sua calça e me dei conta de sua erecção, um imenso volume, Sérgio percebeu que estava olhando para seu cacete.

– Estava como uma louca e ao mesmo tempo estava nervosa, queria que aquele momento durasse o mais possível, mirava descaradamente meus peitos quase desnudo colados a blusa, terminei de encher o copo de açúcar e me virei para guardar o recipiente do açúcar, Sérgio com voz macia me disse descaradamente: Sabe Luciana você tem umas pernas muito bonitas: Não respondi estava imóvel Sérgio me disse: Desculpe por te dizer isso ai lhe disse: Obrigada pelo elogio Sérgio disse nervosa ainda de costas foi quando senti suas mãos moverem-se no meu quadril: Vendo que não lhe respondi nada, chegou bem perto de meu ouvido e continuou: Você sabe que tem um corpo muito bonito e o mostra descaradamente na rua deveria se cuidar falam muitas coisas de você: Fiquei entre o armário e Sérgio e pude sentir sobre minhas nádegas sua excitação, uma palpitante excitação, o maldito estava se esfregando em mim descaradamente, maldição era um velho que estava se aproveitando de mim, poderia ser meu pai com sua idade e ainda inimigo de meu marido.

– Ate´hoje não entendi minha reacção, comecei a esfregar minha bunda ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]