Papai me pegou chupando o namorado.

Loading

Meus amigos me chamam de Anita. Sempre fui uma menina muito liberal, longe dos meus pais, é claro! Adorava namorar, beijar na boca e ter meu corpo alisado por alguma mão boba: Peitinho, bundinha, xoxota e também, de segurar um pau bem duro. Mas, só comecei a transar de verdade quando estava com meus 18 anos, namorando o Samuel. Meus pais eram bastante compreensivos e passamos a namorar em casa. Quando meus pais iam dormir, eu e Samuel ficávamos namorando na varanda até mais tarde, principalmente nos sábados. Quando percebia que meus pais já estavam no quarto, começávamos a sacanagem… Levantava a saia (já sem calcinha) e sentava no pau do Samuel. Samuel ficava com as mãos por baixo da blusa (sem sutiã) apertando meus peitinhos enquanto ficava subindo e descendo em cima do seu cacete. Num sábado Samuel insistiu tanto pra chupar seu pinto que acabei fazendo a sua vontade… Nunca tinha chupado antes. Ele sentado na cadeira (luzes apagadas), ajoelhei entre suas pernas e segurando seu pau duro fui, com muita dificuldade, enfiando quase tudo dentro da minha boca. Justamente naquele momento a luz da varanda acendeu e quando ouvi a voz do meu pai, desesperada travei a boca e quando tentei soltar meus dentes fizeram um estrago no pinto do Samuel… Samuel deu um pulo da cadeira e logo sentou no chão urrando de dor sem conseguir guardar seu pinto. Ele devia estar sentindo tanta dor que deitou no chão se contorcendo enquanto eu e meu pai ficamos entre constrangidos e preocupados. Meu pai fez Samuel levantar e entrar na sala colocando-o deitado no sofá. Minha mãe apareceu e depois de algumas explicações ela tirou a mão do Samuel verificando o tamanho do estrago… Eu não sabia onde enfiar a cara quando meu pai mandou que fosse pro meu quarto. Vendo minha mãe segurando o pinto do meu namorado que chorava de dor, me retirei da sala indo pro meu quarto. Quarenta minutos depois minha mãe entrou e sem me recriminar disse apenas que estava tudo bem e que Samuel já tinha ido embora. Não consegui dormir e logo cedo meu pai entrou no meu quarto sentando na cama. Achei que ele ia me dar um sermão tão grande que comecei a querer chorar. Mas ele, segurando minha mão, pediu que quando levantasse ligasse pro Samuel pra saber como ele estava e depois de me dar um beijo: Nossa filha! Você quase deixou seu namorado aleijado, mas não precisa ficar preocupada que foi apenas um corte e ele logo vai se recuperar!… Ele sorriu e me dando outro beijo saiu do quarto… Mais tranqüila consegui cochilar um pouco. O estranho foi minha mãe que agiu como se nada tivesse acontecido me tratando normalmente. Liguei e conversei com Samuel já sentindo que nosso namoro não ia muito longe… Ele disse que

jamais ia ter coragem de encarar meus pais novamente. Dois dias depois meu pai tornou a perguntar como Samuel estava, querendo saber, se o pênis dele já estava normal… Mesmo com muita vergonha disse que ainda estava um pouco inchado, mas que ele já não sentia tanta dor. Meu pai riu e aproveitei pra perguntar o porquê minha mãe não me deu nenhuma bronca e nem fez nenhum comentário, e ele: Ela também é mulher e sabe que isso hoje em dia é normal entre namorados e que tudo não passou de um acidente!… Falei que achava que ela estava com raiva de mim e ele: Você acha que a sua mãe nunca fez aquilo?… Eu empolgada: Não vai me dizer que ela fazia isso quando vocês namoravam?… Ele me pedindo segredo: Quando a gente namorava e também depois de casados!… Eu: Até hoje pai?… Ele: Infelizmente não filha! Hoje sua mãe já está com certa idade e já não liga tanto pra sexo como alguns anos atrás!… Eles já estavam na faixa dos 45 anos. Passado mais de um mês e papai, percebendo algo, me perguntou sobre meu namoro. Quando disse que havíamos terminado, ficou preocupado achando que a culpa foi dele por ter aparecido na varanda de repente, respondi: Tudo bem pai! A vida tem que continuar; se não deu certo com ele quem sabe se não arrumo outro melhor?… Ele rindo: É só você não morder o próximo, hein?… Fiz cara feia: Pô pai! Assim você me deixa envergonhada!… Ele: Estou brincando filha! Para mim, fazer sexo oral não tem nada de vergonhoso, se você gosta!… No embalo da conversa: Mas naquele dia ia ser a minha primeira vez!… Como estava deitada na minha cama, ele colocando a mão em uma de minhas pernas: Então você ainda não tem experiência?… Eu: Não pai! Ia fazer só porque Samuel vivia me pedindo!… Ele: E as outras coisas, vocês faziam?… Eu: Que outras coisas pai?… Ele botando a mão na minha xoxota sobre o tecido da camisola: Você o deixava fazer aqui em você?… Sentindo a mão dele, alisar minha xoxota por cima do tecido: Deixava pai!… : E você gostava de fazer sexo com ele?… Quando balancei a cabeça confirmando ele apertou minha xoxota: Então minha filhinha gosta de transar?… Já sentindo minha xoxota umedecer, tornei a balançar a cabeça e ele levantando um pouco a camisola ficou alisando minhas coxas: Fico imaginando você sem roupa na frente do Samuel antes de começarem a transar!… Quando disse que nunca fiquei sem roupa na frente do Samuel, tive que explicar como fazíamos sexo na varanda e ele admirado: Quer dizer que mesmo quando estávamos todos juntos na sala você já estava sem calcinha?… Sorri: Às vezes sim, outras vezes tirava depois!… Ele levantou mais a camisola e puxando a calcinha: Quer dizer ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]