Paulinha achou que era só amizade, mas era amor mesmo. E rolou

Loading

(escrito por Kaplan)
Minha sobrinha Paulinha passou o réveillon no sítio dos pais de uma amiga querida. Depois da bebedeira e dos abraços da meia noite, ganhou um beijo na boca de sua amiga Clara. Achou interessante, inusitado e gostoso.

No dia seguinte, feriado, todo mundo dormindo, ela acordou e foi dar uma volta pela propriedade. Era um belo sítio, com muitas árvores, muitos gramados e ela achou algo que adorava: uma rede esticada entre duas árvores. Feliz da vida, deitou-se nela, ficou balançando e logo teve a surpresa de ver Clara chegando perto dela.

– Acordou cedo, querida!

– Sim, e descobri esta rede aqui, estava quase dormindo de novo!

Viu Clara olhando pra ela, sorrindo, feliz.

– Você me deu um beijo muito gostoso ontem…

– E queria dar mais, você quer?

– Hum…hum…

Então Clara debruçou-se sobre ela e as duas trocaram muitos beijos. Ousada, Clara levantou o vestidinho de Paulinha e começou a fazer carícias em sua xotinha, por cima da calcinha mesmo.

Paulinha gemeu baixinho, e Clara continuou a fazer carinhos, a beijá-la, a beijar-lhe os seios, cujos biquinhos logo enrijeceram…

– Clara, não tem perigo de seus pais nos verem?

– Não tem problema algum, eles sabem como sou, não me censuram. E te elogiaram muito, podemos nos amar à vontade.

Surpresa com a notícia, Paulinha tirou o vestidinho, Clara

tirou a blusa e o sutiã do biquíni que já tinha colocado, e ficaram as duas, só de calcinha, deitadas na rede, se beijando sem parar.

A calcinha de Paulinha foi colocada de lado e sua xotinha foi beijada, acariciada pela amiga. Paulinha estava enlouquecida, tratou de tirar a calcinha de Clara e ficou beijando-lhe a bunda, o cuzinho e a xotinha.E Clara gemeu também.

E os beijos e amassos se tornaram mais sôfregos, dedos foram enfiados nas xotinhas e elas estavam a ponto de gozar de tanta felicidade.

E conseguiram mesmo, Paulinha foi a primeira, provavelmente pela situação inédita que vivia, sabendo que poderiam estar sendo vistas E o conseguiu quando as duas, equilibrando-se para não cair da rede, fizeram um 69 super gostoso. Já quase sem forças, ela continuou chupando a xotinha de Clara até que ela gozasse também.

Deitadas uma em cima da outra, beijando-se, foram interrompidas pela mãe de Clara, que as chamava para o café.

– Meninas, entrem… fazer amor de estômago vazio não dá certo… venham tomar o café!

Morrendo de vergonha, Paulinha vestiu-se rapidamente. Clara ria do aperto da amiga. Entraram abraçadas na casa, onde os pais dela já as esperavam sentados à mesa. Ainda envergonhada, Paulinha mal conseguiu olhar para os dois, enquanto Clara se derramava em elogios a ela para os pais.

Durante o dia as duas não fizeram mais nada, mais por causa de Paulinha, que não estava acostumada a manifestar ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]