Peguei o namorado de uma fodendo a outra, e acabei fodendo com ele - Mulher de 40

Loading

Olá, me chamo Geane, na época deste fato eu era casada com um médico, casei com 18 anos, e nessa
época já tínhamos três filhas, 20/18/13 respectivamente, eu estava com meus 39 anos, moramos em uma
casa de frente para o arroio, e eu havia herdado uma propriedade rural a uns 150 km de onde morávamos,
sempre, desde novinha me achavam bonita, e eu sabendo disso explorava meus atributos seios médios,
bunda bem feitinha, meu cabelo na época era Chanel, me vestia sempre de modo bem provocativo, meu
marido gostava, tenho 1.70 e naquela época uns 63 ou 64 kg, mas confesso que casei virgem, claro que
eu havia batido algumas punhetas para namorados e eles me chupado os seios e tocado na minha
xaninha.
As meninas já estavam namorando, a mais velha Andria, já havia sido noiva com 18 anos, e para
sorte dela não fez a besteira que eu fiz, e acabou o noivado, e agora namorava o filho de amigos de longa
data, amigos que vinham da geração do meu pai, e que na verdade não tínhamos contato diário, a não ser
em algumas festas e eventos, inclusive o Zé Neto havia sido namorado de uma prima irmã do ex-noivo
dela, a filha do meio Janice também estava namorado o filho de um também casal de amigos, o Fabri,
ambos os guris faziam veterinária, Andria fazia Direito e Janice agronomia. AS meninas eram bem bonitas,
Andria a mais vistosa, seios fartos, bunda arrebitada, morena, sempre bronzeada, adoradora do sol e
sardinhas no rosto w 1,68/55 kg, já a outra morena também, mas baixinha, 1,60; 55 kg, mais cheinha
também, com seios pequenos e bunda maior, eu sabia que as duas não eram flores que se cheirassem,
ambas eram bem espertas e safadinhas.
O Fato é que por sermos quatro mulheres e um homem, em casa sempre andávamos nus ou
praticamente nus, sem traumas ou problemas, até que elas começaram a namorar, aí precisávamos nos
cuidar, pq seguido os namorados estavam lá em casa, jantar era quase todo dia, e as domingos era
pensão completa, café, almoço e janta.
Pela manhã todas tinham aula, meu marido trabalhava todo dia, e eu fazia alguns trabalhos em
uma empresa pela manhã e trabalhava em casa para a mesa pela parte da tarde, tínhamos uma
funcionária em meio turno e um caseiro três vezes por semana para cuidar do pátio e jardins. foi em um
dia que fui liberada mais cedo do trabalho, e iria aproveitar para fazer o almoço mais cedo e montar um
projeto e fazer umas traduções, e quando chego em casa para minha surpresa esta o carro do Zé Neto,ele
assim como Fabri e Janice estudam no Campus, lembro que pensei que ele deveria ter saído mais cedo e
passou na faculdade de direito e havia dado uma

carona para Andria. Cheguei abri a porta, e na parte
térrea de casa não estavam (salas, cozinha, lavanderia, lavabo, comedor - copa, despensa), então subi a
escada (um mezanino com uma sala de TV e salamandra, nossa suíte, os quartos das filhas e um
escritório) e logo ouvi uns gemidos, já imaginei que Andria e Zé estavam transando, isso que elas sabiam
que não era para transar em casa, era um acerto, mas para minha surpresa os sons vinham do quarto de
Janice, a porta estava entre aberta e a cena que vejo é o Zé de pé calças arriadas até os joelhos e Janice
chupando sua piça, nossa me impressionei não com o tamanho, deveria ser um pouco maior que do meu
marido, mas com a grossura, e ela agachada com o vestido na cintura chupando com maestria aquele
bruto, e ele gemia gostoso, confesso que me deu tesão, eu não conseguia me mexer de onde estava, mas
precisava sair dali, e foi quando o Zé Neto me olhou, fixou bem o olhar em mim, e para minha surpresa
não falou nada, apenas tirou o cabelo da minha filha da frente para que eu pudesse ver ela lamber e
abocanhar com vontade aquele belo exemplar de piça, quando me olhou foi como eu tivesse levado um
choque, e minha xaninha inundou, molhou minha calcinha, e o safado agora forçava o caralho na boca da
minha filha, eu não sabia o que pensar, minha filha do meio Janine,chupando seu cunhado com vontade, e
logo ele pediu que ela tirasse sua calça, ficou nu da cintura para baixo, tirou sua camisa, ela se levantou,
ele disse que queria ela peladinha, e na hora ela tirou o vestido, ele deitou na cama e ela montou, vi que
esfregou a pica entra os lábios vaginais gemendo muito, e dizendo que fosse com calma, que o pau do
namorado era menor,bem menor que o dele, e ela ficou agachada em cima dele, eu via aquele pau
duro,grande,grosso e ereto apontando para a xaninha da minha filha, e logo ela deixou a cabeça entrar,
gemia muito minha filha e logo aquela jeba estava atolada na buceta,tirei minha calcinha, levantei meu
vestido, ela estava de costas para onde eu estava, e acabei colocando a mão dentro da xaninha e me
tocava enquanto assistia minha filha engolir aquela espada,ele também não conseguia me enxergar, ou eu
pensava que não, ela gemia e falava que o caralho dele era gostoso, que não iria poder dar para o Fabri
naquele dia, pois ele notaria que ela havia fudido, mas não saia de cima do caralho, até que ela gemeu e
gemeu alto e se acabou, vi que teve um orgasmo, e saiu de cima dele ficando de 4 na cama e voltando a
chupar, minha filhinha pedia ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]