Pra passar de ano tive que dar…

Loading

Vou procurar não encher lingüiça para que a leitura desse conto não fique maçante. Sou Bebel (apelido), 18 anos, não sou nenhuma princesa, mas me considero uma menina bonita e até certo ponto gostosa: Morena clara, 1,60 m, 56 k, peitinhos pontudos, bundinha média e firme. Sempre fui muito espoleta e assanhada e estava tentando terminar o ensino médio, já que no ano anterior tinha levado pau em várias matérias. Resolvi me dedicar mais aos estudos e estava indo bem em quase todas as matérias, porém tinha a porra da Matemática que estava me deixando preocupada. Já estava no segundo semestre e só tinha notas vermelhas. A professora Goreti de matemática era uma mulher de seus 35 anos, casada, e o que atrapalhava sua beleza era o óculos cafona que ela usava, pois de corpo ela era até jeitosinha. Uma colega já tinha me dito que levou uma cantada da professora dizendo que ela apesar de ser casada gostava também de mulheres. Como não tinha certeza resolvi investir nessa possibilidade pra poder me aproximar e conseguir com que ela me desse uma forcinha nas notas. Em suas aulas passei a sentar bem na frente e de propósito suspendia a saia deixando com que ela visse a minha calcinha… Quando percebia que ela estava olhando eu lhe dava um sorriso bem discreto. No dia em que ela aplicou uma prova, fui uma das últimas a entregar e cheguei ficando do seu lado esquerdo atrás de mesa falando para os outros não escutar: Goreti! Você bem que podia corrigir minha prova com um pouco mais de carinho, como você sabe minhas notas estão bem ruins!… Ela pegou minha prova e ficou olhando e ali mesmo na minha frente começou a corrigí-la: É menina! Vai ser difícil te dar uma boa nota!… Fiz uma cara de triste e ela: Vamos ver o que eu posso fazer por você!… Quando ela falou já senti sua mão esquerda discretamente segurando minha perna logo atrás do joelho: Faz isso por mim Goreti! Vou ser eternamente grata!… Ela continuou olhando pra minha prova e sua mão subiu por trás de minha coxa. Ela olhou pra mim e vendo que eu continuava tranqüila sua mão chegou à minha bunda e seu dedo entrou por dentro da minha calcinha alcançando minha boceta e ficou ali

a alisando, enquanto com a outra mão escrevia um endereço e uma observação: – Amanhã depois das aulas. No dia seguinte sai do colégio e pegando um táxi cheguei a sua casa. Ela me atendeu vestindo um roupão como se estivesse acabado de sair do banho. Sentamos no sofá e ela logo já foi falando: Sabe que você é uma menina muito bonita? Acho que vou te ajudar, mas tem que prometer guardar um segredo!… Eu já imaginando: Claro Goreti, juro por tudo que é mais sagrado, mas qual é esse segredo?… Ela abrindo um pouco o roupão com a intenção de que eu notasse que ela não tinha nada por baixo: De tanto você me mostrar a sua calcinha me apaixonei por você!… Tive uma reação normal e notando que estava no caminho certo: Eu também te acho muito atraente Goreti!… Ela botou a mão na minha coxa e já foi subindo segurando minha calcinha. Abri as pernas e ela se aproximou segurando com a outra mão meu pescoço me beijando na boca… Nunca tinha feito aquilo com outra mulher, mas pra conseguir o que queria fechei os olhos e correspondi àquele beijo. Ela conseguiu tirar minha calcinha e, entre um beijo e outro: Quero você peladinha, deixa eu te despir todinha!… Ela tirou seu roupão e foi me despindo até me deixar como vim ao mundo. Goreti mamou nos meus peitos de forma mais gostosa do que meu namorado, deixando meus mamilos muito duros que ela chupava como se fossem bicos de mamadeira… Eu já estava entregue aos seus carinhos quando ela me fez deitar no sofá e foi com a boca na minha boceta já toda melecada. Goreti lambeu e chupou minha xoxota bebendo meu liquido vaginal me fazendo ter um orgasmo totalmente diferente de todos os que eu já tinha tido. Depois ficamos algum tempo conversando e ao sair ela voltou a beijar minha boca marcando outro dia pra eu voltar a sua casa. No segundo dia estávamos peladinhas em sua cama e enquanto ela percorria todo meu corpo com sua língua notei que tinha alguém nos olhando por trás da porta de vidro da varanda que tinha uma grande cortina: Goreti! Goreti! Tem alguém ali na varanda!… Ela sem parar deitou do meu lado e antes de beijar minha boca: ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]