Quem fodeu e esporrou na minha esposa na festa?

Loading

Meu nome é Alberto, tenho 43 anos e sou casado há quinze anos com Lúcia, uma gata sexy e gostosa que não aparenta seus 39 anos, seios médios e firmes, com bicos rosados e tesos, coxas não muito grossas e uma bunda deliciosa, com seus 1,65 de altura, 53 quilos, cabelos louros médios, olhos cor de mel, uma esposa tamanho m, que me torna um corno muito orgulhoso. Incentivada por mim ela costuma usar mini-saias bem curtinhas e calças bem justas, de preferência jeans com lycra, que desenham os contornos da calcinha, não maioria das vezes bem pequenas e enfiadas em no rego e também por meu incentivo e pelos seios firmes que ela tem, raramente usa sutiem e abusa dos decotes, principalmente quando saímos juntos ou vamos ao litoral. Esta aventura real aconteceu no final do verão passado, março de 2007, e acabou passando sem que eu a tenha relatado, mas agora estou corrigindo esta minha falha.

Fomos a uma festa tropical no Guarujá, litoral de São Paulo, o evento acontecia numa grande casa adaptada para festas em uma praia famosa, um verdadeiro luau, muitas frutas, gente bonita e animada e uma iluminação a base de tochas, que davam um ar misterioso e sensual ao local. Minha esposa usava um vestidinho florido e bem decotado, curto na altura das coxas e muito justo, marcando seu corpo. Sua sandália prata de salto alto fazia sua bunda gostosa ficar ainda mais arrebitada e a batata da perna mais grossa, um tesão! Tomamos algumas batidas de frutas e procuramos um lugar mais quieto e escurinho para darmos uns amassos e nos esfregarmos bem gostoso. Afinal, a Lúcia estava muito sexy e eu com muito tesão nela, encostamos-se a uma cortina escura ao lado de uma enorme caixa de som. Dei uns beijos molhados nela e passei a mão em sua buceta, já bem úmida. Deixei-a ali e fui buscar uma cerveja. Mal havia saído de perto dela, olhei para trás e vi duas mãos saírem pela cortina e agarrarem minha esposa pela cintura querendo puxá-la para trás da cortina, ela tentava escapar quando outras duas mãos surgiram e a segurou pelo pescoço, ela assustou-se e deu um grito, dai uma das mãos tapou sua boca para que ela não gritasse, voltei do meio do caminho, mas antes de chegar até ala quis primeiro saber o que acontecia com ela e fiquei atrás da caixa de som, olhando aquela cena excitante onde minha esposa estava sendo segura por quatro mãos misteriosas. A minha excitação era enorme e eu ansioso para ver até onde aquilo iria chegar, principalmente porque devem ter falado algo no ouvido dela que a deixará mais calma e agora ela permitia que mãos deslizassem por todo seu corpo, entrassem pelo seu decote e apertassem seus seios, mostrando seus biquinhos

que já estavam durinhos de medo e tesão. Ela respirava forte e ficava cada vez mais excitada. As misteriosas mãos pareciam saber o que faziam, pois a tocavam nos lugares que ela mais tinha prazer. Entraram por baixo de seu vestido arrancaram sua minúscula calcinha, que vi cair aos seus pés, e provavelmente tocavam sua buceta. Ela rebolava naquelas mãos como uma vadia. Ela devia estar sendo masturbada e a sua buceta ensopada de tesão, pois os dedos saídos debaixo do seu vestido passavam em sua boca, e ela os lambia, provavelmente estavam melados de seu próprio prazer. Ali mesmo Tirei minha rola para fora e comecei a bater uma gostosa punheta, não acreditando no que eu via, mas muito excitado por ver que minha esposa tremia de tanto prazer. Tiraram seu vestido, agora ela estava completamente nua, deixando a mostra sua buceta quase depilada com poucos pelos dourados e que deveria estar super molhada naquela altura, estávamos numa posição privilegiada em termos de isolamento e tinha a sensação de que os donos daquelas mãos sabiam que eu estava ali apreciando tudo, pois eu me encontrava a menos de um metro dela. Em dado momento, uma rola enorme surgiu por trás da cortina e passou a se esfregar em minha esposa, que rebolava e ia de encontro dela, passando pelas coxas e encoxando sua bunda. A cabeça era grande, quase como uma bola de tênis, como eu pouco tinha visto, e além de grossa. Ela passou por entre as coxas de minha esposa, que fechou as pernas e começou a rebolar naquele membro duro. Aquela enorme cabeça passava entre as pernas semi abertas e bambas de Lúcia e se esfregava com vontade na sua buceta molhada, abrindo seus lábios vaginais. A rola era tão grande que aparecia do outro lado de suas coxas. Ela não agüentando mais, gozou naquele mastro, percebi isto pelo seu gemido e pela expressão do seu rosto, sinais para mim tão familiares. Suas pernas amoleceram e ficaram tremulas. Em seguida, não satisfeita, ela inclinou seu corpo gostoso para frente, arrebitou sua bunda e empurrou sua buceta melada de encontro àquela enorme rola que, pelo seu gemido, deve ter entrado com força arregaçando-a toda, entrando até fundo de sua buceta. Minha esposa deu um grito de dor e prazer, gozando pela segunda vez naquela rola dura como um pau. O cara fazia movimentos de vai-e-vem, dando estocadas rápidas e fundas. Lúcia revirava seus olhos e gemia muito, foi quando deixaram de segurá-la, pois perceberam que ela não queria mais fugir dali. Então pude perceber que havia uma outra rola se esfregando em sua bunda, enquanto a outro a fodia com vontade. Ela agarrou a segunda e começou a bater uma punheta, esfregando aquela rola nas coxas e passando os dedos naquela cabeça, que era ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]