Sentindo o gosto da porra de outro !

Loading

Escrevi aqui o conto sobre como descobri/senti o gosto da porra do meu negão Oslec (nome fictício)pela primeira vez, com o título “Descobrindo o gosto de porra”; e também o conto “Tesão em qualquer lugar”, ambos com ele.

Como já disse nesses contos, além dele já tive outros, antes, que me fizeram de mulherzinha deles, mas eu querendo e claro. Alguns que na verdade nem vale a pena de contar porque a coisa era tão desanimada que eu não sentia tesão algum, dei só por dar mesmo.

Mas tive fodas maravilhosas com uns amiguinhos, quase na mesma época com o meu negrão. Teve o Wilson, que fodia gostoso,mas era só papai e mamãe, sem nenhum outro atrativo; também o Gérson, que também era gostoso na foda, mas não passava do papai e mamãe; e o Vitor, que além de mais gostoso que esses anteriores era um pouco mais safado; mas não sei porque ele nunca me pediu outra coisa sem ser foder meu cuzinho, o que ele fazia muito bem e sempre deixava o meu cuzinho cheio de porra.

Mas depois que fiz de tudo com o meu negão, tudo mesmo, o que vocês possam imaginar. As fodas com os anteriores ficaram em segundo plano. Mas, de todos os outros o único que me deixou com vontade de fazer o que fazia com o negrão, foi o Vitor.

Mas tive medo e vergonha de me oferecer a ele, porque depois que comecei com o negrão, não tive mais nada com os outros, porque eles cresceram (já eram.mais velhos que eu) e acredito que começaram a trepar com mulheres, não quiseram mais meu cuzinho, que serviu muito a eles (mas não lamento nada, porque também aproveitei o melhor deles (o caralho)) e já estava a todo vapor com o meu negrão gostoso, que nunca era uma fodinha e sempre fodas maravilhosas.

Porém, de repente fiquei com o pensamento direto no Vitor e de que como seria bom pelo menos chupar o pai gostoso dele. E isso me fez ter vontades, e como naquela época nenhum deles sabiam um dos outros (que eu era a putinha de cada um), certo dia conversando com o Oslec (meu negrão .. porque os outros eram todos brancos, inclusive o Vitor) depois de uma trepada bem gostosa, que mais uma vez ele me deixou com a cara e a boca cheia de porra, tomei coragem e falei pra ele que antes já tinha dado meu cuzinho pra eles, um deles inclusive era irmão dele. Pra meu espanto,ele não se surpreendeu e disse que desconfiava, e quis saber quem eu achava que me fodia melhor, quem era o meu preferido, e disse sem pestanejar que era ele o meu melhor comedor. Pois com ele consegui fazer tudo, do bom e do melhor. Então ele ficou surpreso que eu só tinha chapado o pai dele e dos outros não. E ele quis saber se eu tivesse a chance, qual eu escolheria pra pelo menos tentar um boquete, e eu disse que sem dúvida seria o Vitor.

Daí ele botou mais fogo na fogueira ao dizer que ia gostar de me ver chupando o Vitor, e pediu pra mim tentar. Mas eu disse a ele que não teria como, eu não ia ter coragem de pedir, depois de muito tempo sem ser procurado por ele, porque com o Vitor, era sempre ele que me chamava pra me foder.

Mas fiquei

com o tesão a flor da pele, e tentei bolar alguns planos, mas não consegui por em prática.

E como a minha vontade era grande, um certo dia aconteceu o inesperado. O Vitor tinha ido na minha casa buscar uma coisa pra mãe dele, e depois que minha mãe saiu da casa pra ir pro pátio, ele ia sair de casa pra ir embora, e eu estava escorado na mesa da cozinha, e ele poderia passar pelo outro lado,mas passou bem onde eu estava me dando uma encochada bem gostosa e safada,e ainda deu uma apalpada na minha bunda. Fiquei surpreso com aquilo, mas mesmo tempo adorei e aproveitei pra tentar alguma coisa mais produtiva com ele (uma foda é claro). Na hora que ele passou eu perguntei, – Tá com saudades dessa bundinha é? . E ele não se fez de rogado e disse, – Pois é, tu rebolava gostoso no meu Paulo, né ? E eu disse, – Sim né, tu me comia bem gostoso, se quiser matar a saudade é só me falar, tô bem afim, vamos marcar.

E ele já saindo e me olhando, baixou um pouco a bermuda mostrando aquele pau lindo e grande e disse, – Hoje a noite, depois das oito lá em casa, eu dou ele todinho pra ti. Cheguei rápido (antes que minha mãe voltasse) perto dele, segurei bem gostoso o pau dele, dei uma mordida no meu lábio sensualizando e disse, – Pode esperar que vou ir. Nisso me abaixei bem rapidinho e dei um beijinho bem gostoso no pau dele, com vontade de ali mesmo meter todo aquele cacete gostoso pra dentro da minha boca. Mas me contive com medo que minha mãe descobrisse, e ele com ar de surpresa me olho e disse, – Tu sabe fazer isso ?. E eu disse baixinho no ouvido dele, – Tu não sabe o que sei e gosto muito de fazer, é só deixar que tu vai ver.

Ele guardou o pau e foi embora. Depois que não vi mais ele, corri pra avisar meu negrão que nosso desejo iria se realizar naquela noite. Então combinamos que ele iria ficar espiando enquanto eu fazia o “serviço” e que se eu quisesse, ele poderia se juntar ao Vitor e me foder gostoso. Eu disse que seria uma maravilha ter dois paus gostosos e grandes só pra mim, porque a tempos que eu já tinha essa vontade de dar pra dois gostosos ao mesmo tempo . Então combinamos tudo certinho , pra não dar errado, e na hora marcada me fui ao encontro do meu fedor, macho gostoso. Eu já tava super feliz em poder fazer um boquete no Vitor, imagina foder com os dois ao mesmo tempo.

Então na hora certa cheguei e ele abriu a porta, disse pra ele deixar que eu fecharia a porta, mas só fingi, pra deixar aberta pro meu negrão entrar e poder me ver em ação. Fomos direto pro quarto dele, e lá vi que a janela estava aberta, mas ele disse que não tinha problema que de fora ninguém ia ver,e se chegou por trás de mim e encostou aquele cacete bem duro na minha bunda e falou, – Então minha putinha sabe dar uns beijinhos num cacete, né ? Quer fazer no meu ?

Falou isso já com os dedos molhadinhos mexendo bem gostoso nos meus mamilos, sabendo que isso me deixava com mais ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]