Sogra Gorda e Bebada Levou no Cu

Loading

Prefiro que pensem que é um conto, porém, foi realidade. Realidade que até hoje abomino, saberão porquê. Se voltasse no tempo não faria novamente. Vamos ao acontecido…. O ano 1998, ia para praia sozinho para participar de uma reunião de condomínio, minha esposa então sugeriu que levasse a mãe dela junto, pois a minha pobre sogra praticamente não tem diversão na vida. Contrariei no início, pois queria dar uma escapada durante a noite, mas não deu, prevaleceu a vontade dela. Muitos gostariam de estar no meu lugar, mas vejam, minha sogra, uma senhora de 56 anos, 1,52 altura, pesa uns 78 Kg, parece um bujãozinho de gás, os seios enormes praticamente encostam na barriga mesmo de sutiã, barriga que por sua vez é enorme, bunda a coitadinha não tem, vejam amigos, não dá pra encarar. Bom chegamos na praia na sexta a noite e fomos dormir, eu, claro, no meu quarto sozinho. No dia seguinte correu tudo normal, acordei às 10, reunião às 11, cervejada com os amigos do condomínio e dormi ás 15hs, até esqueci que minha sogra estava comigo. Acordei às 19 meio de bode e vi minha sogra assistindo TV, perguntei se queria que pedisse uma pizza e ela respondeu que não, mas aceitaria uma cervejinha. Achei estranho nunca vi a bruaca beber, bem fiu até a cozinha e peguei duas latinhas, quando me veio a idéia de dar um porre na veia e sair para gandáia, servi meio copo de cerveja e completei o resto com “51” e

levei para ela na sala. Bebeu como se nunca tivesse tomado cerveja, nem sentiu o gosto da pinga, terminou o 1º copo e pediu mais. Fiu servindo e ela começo depois de uma meia hora a passar mal. Pessoal, comecei a ficar preocupado em ver a velha naquele estado. Disse para ela se levantar e tomar ar puro na varanda, ela levantou e disse estar fervendo de calor e foi tirando a camiseta, foi a visão mais horrivel que tive aqueles seios batendo na barriga, mesmo de sutian. Fiu para perto dela e perguntei, “Dona L., a senhora não quer ir para o quarto, tomar um banho gelado, assim vai dar escandalo, verão a senhora desse jeito dos outros apartamentos”. Ela não falava coisa com coisa, mas foi indo em direção ao banheiro, se despindo no caminho, aquela visão me entristeceu, fui atrás para poder ajudar se caisse. Ela entro no banheiro, já nua nem fechou a porta e ficou debaixo do chuveiro chorando. Fiu até próximo à ela e perguntei se precisava de ajuda e nesse momento ela começou a cambalear. Não tive escolha, segurei-a, e fiquei debaixo do chuveiro com ela uns 2 minutos. Quando pensei que já tinha se recuperado um pouco, minha surpresa, ela começa a passar a mão no meu pau que nem estava duro, pois aquela visão não me excitava nem um pouco. Pedi que ela parasse, mas ao contrário, ela enfoi a mão na minha bermuda e começou a me punhetar. Tentei parar com aquilo, ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]