Transando com meu professor hetero bêbado

Loading

No meu primeiro conto. Contei como foi minha primeira vez no final dos meus 19 anos. Eu tinha mudado de cidade para fazer um cursinho e morava sozinho numa nova cidade e eu estava há algum tempo sem sexo. Eis que surge a oportunidade. Estou eu caminhando no centro da minha cidade em direção ao meu carro quando um bêbado vem cambaleando de longe. Procurei me afastar dele, mas eu reparei que era alguém conhecido, o meu professor do cursinho, um japonês muito gostoso casado e com filhas. Como eu não podia deixar ele ali naquele estado perguntei pra ele onde ele tava indo. Ele falou (pelo menos tentou) que tava vadiando pela rua porque tinha acabado e se divorciar da esposa, então estava num bar bebendo. Falei pra ele me acompanhar e coloquei-o no meu carro “pra onde você quer ir?” “Não sei.” “Então vou te levar pra minha casa…”

Chegando em casa, ele estava quase desmaiado no carro tentei acordar ele e nada. Como eu já malhava há algum tempo e estava forte o peguei no colo e o levei pra dentro. Com todo o respeito que eu tinha por ele eu tirei sua roupa e só o deixei de cueca, o levei para baixo do chuveiro e deixei lá na água gelada. Ele não despertava de jeito nenhum e, então, levei ele pro único quarto da casa e coloquei-o na minha cama de casal. Sempre o respeitei muito, mas também sempre já me masturbei muito pensando nele. E ele ali indefeso só de cueca na minha cama. Olhei para aquele corpo, ele freqüentava a mesma academia que eu, mas não tínhamos muito contato nela, só no curso, então ele era bem malhado com umas coxas grossas. Apesar de japonês e daquelas piadinhas de pau pequeno, ele tinha belo volume no meio das pernas. Tirei sua cueca e tentei acordá-lo. Ele nem se mexia só respirava num sono profundo. Passei a mão naquelas pernas grossas e subi até seu pênis devia ter uns 19 centímetros, quando

mole. Comecei a bater punheta pra ele. Não teve nenhuma reação ele realmente tava desmaiado. Então eu abri suas pernas e coloquei um dedo no seu cu. Ele se movimentou incomodado com alguma coisa, mas eu continuei, não ia perder uma chance como aquela. Então eu ali batendo punheta e o fodendo com meu dedo. Isso o fez reagir e seu pau ficou ereto. Duro, não era tão grande como do meu primeiro homem, mas era muito grande e tinha uns 23 cm e um pouco mais grosso que o do Eduardo (o meu primeiro macho). Coloquei minha boca na cabecinha e comecei a beijá-la. Minha boca tinha se adaptado à pica do Eduardo então eu colocava tudo na boca, ficava um tempo e saía, chupei muito aquela rola. Meu professor tinha um leve sorriso no rosto, então estava gostando, mas ele não gozava levantei peguei uma camisinha, pus no pau dele e subi na cama. Era a hora: eu ia ser fodido pelo gostosão do meu professor. Abaixei e sentei de uma vez na sua rola grossa. Meu cu já era arrombado e, então, não senti muita dor. Levantei e sentei. Foi uma maravilhosa sacanagem. Ele ali dormindo e eu abusando dele. Ele deu algumas gemidas baixas de prazer. Ele devia estar sonhando com alguma coisa muito boa (risos). Enquanto eu cavalgava naquele instrumento, comecei a sentir que eu ia gozar e comecei me punhetar com a tora dele toda em mim e gozei nele passei minha mão no meu gozo e passei na boca dele que tava aberta. Eu não estava pensando no que ele ia achar de ter porra na boca quando acordasse. Mas não importava naquela hora meu objetivo era fazer ele gozar. Eu tava com tanto tesão com aquela adrenalina de ele poder acordar que meu pau nem abaixou! Coloquei um preservativo no meu pau e mirei na entrada do seu cu. Não entrou! Ele era virgem de cu. Hoje você vai perder suas pregas professor. Cuspi naquele cu. Coloquei no ...


Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]